terça-feira, 28 de agosto de 2012

Elvis Presley - It's Impossible


Elvis Presley - Suspicious Minds [Sub-Esp]

PARA VOCE.
MARCAO CAVALCANTE

The Corrs - Everybody Hurts (Unplugged)


The Corrs - Dreams [Official Video]


Savage Garden - I Want You


Savage Garden - To The Moon & Back


ESTAVA NO EXERCITO BRASILEIRO 1998, MAIS PRECISAMENTE NO CPOR BH E VOCE RITA MEDINA ESTAVA NOS EUA. EU SOU ASSIM, UM ETERNO APAIXONADO PELAS MULHERES ESPECIAIS.Savage Garden - Truly Madly Deeply

ESTAVA NO EXERCITO BRASILEIRO 1998, MAIS PRECISAMENTE NO CPOR BH E VOCE RITA MEDINA ESTAVA NOS EUA.
EU SOU ASSIM, UM ETERNO APAIXONADO PELAS MULHERES ESPECIAIS.

Savage Garden - I Knew I Loved You

SEMPRE SONHEI COM A MULHER DE MINHA VIDA, UMA AMOR ETERNO, INTENSO E CONSTRUTIVO. MAS, SEMPRE PERDI PARA AS RELAÇÕES INTENSAS E CURTAS.

 VOU DE SAVAGE GARDEN...



QUEM SE LEMBRA???


CONTINUO GOSTANDO.

Flo Rida - Good Feeling [Official Video]


Maroon 5 - Makes Me Wonder (VEVO Summer Sets)


Maroon 5 - Moves Like Jagger ft. Christina Aguilera


Maroon 5 - Makes Me Wonder


Maroon 5 - If I Never See Your Face Again ft. Rihanna


Maroon 5 - Goodnight Goodnight


Maroon 5 - Won't Go Home Without You


Maroon 5 Payphone LIVE HD


Maroon 5 - She Will Be Loved


Coldplay - Charlie Brown


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Capital Inicial - Depois da Meia Noite



Capital Inicial - Depois da Meia Noite


capital inicial - ela dormiu


Capital Inicial - Tudo que vai - Acústico MTV


Capital Inicial - O mundo


Capital Inicial Todas as noites MTV acústico

BELA MUSICA DOS JOVENS E APAIXONADOS.

Capital Inicial - Fogo(Versão Acustica)

SINGELA HOMENAGEM AS MULHERES.

 MARCAO CAVALCANTE

O Passageiro Capital Inicial acústico original



Capital Inicial - Primeiros Erros (Acústico)


Você sabe tão bem quanto eu !


Escolho meus amigos não pela pele - Oscar Wilde


Provocações - A Incapacidade de Ser Verdadeiro (Carlos Drummond de Andra...


Se todos os rios são doces... Autor: Pablo Neruda


Saudade - Poema de Pablo Neruda


Clipe oficial - "Eu quero ser feliz agora", música de Oswaldo Montenegro...


Sem Mandamentos - Oswaldo Montenegro


O mestre sala dos mares - Chico Buarque e João Bosco


Todo o sentimento - Oswaldo Montenegro


Como se eu estivesse fora Oswaldo Montenegro


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

PARECE CONOSCO. MARCAO CAVALCANTE. Maroon 5 - She Will Be Loved

PARECE CONOSCO...

Matogrosso e Mathias- Boate Azul



Coldplay - Paradise


Coldplay - The Scientist


A TRISTEZA EM MIM , TRAZ NO PEITO. AS VEZES, COMPREENDEMOS QUE SE VIVEMOS EM TEMPOS DIFERENTES DA PESSOA QUE QUEREMOS, TEMOS QUE COMPREENDER QUE DEUS QUIS ASSIM.Coldplay - Speed Of Sound

A TRISTEZA EM MIM , TRAZ NO PEITO.

AS VEZES, COMPREENDEMOS QUE SE VIVEMOS EM TEMPOS DIFERENTES DA PESSOA QUE QUEREMOS, TEMOS QUE COMPREENDER QUE DEUS QUIS ASSIM.

A IDADE , NUNCA FÔRA PROBLEMA, A QUESTÃO FINANCEIRA, TAMBÉM NÃO. MAS, DE FATO O QUE ME INCOMODA É O SENTIMENTO DE NÃO MAIS FICARMOS JUNTOS.

MAS, QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO, POIS CONTINUAREI A CAMINHADA SEMPRE , OU TENTANDO ( POIS NÃO É FÁCIL, BUSCAR A DEUS ), MEU FILHO ABENÇOADO E FAMILIA ABENÇOADA.

ENTREI DE CORPO E ALMA NA CAMPANHA MÁRCIO 40, POR ACREDITAR, PELA VALORIZAÇÃO, PELO AMOR A BH E AGORA POR NÃO PODERMOS ESTAR JUNTOS. MINHA TERAPIA SERÁ A CAMPANHA E QUE DEUS NOS ABENÇÕES.

Marcão Cavalcante

Marcao Cavalcante

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Ryan gracie vs Sakuraba Pride 12 bastidores.flv

Gracie Jiu-Jitsu x Judô (Bastidores)

Ryan Gracie - Fera Solta!

the best jiu jitsu Ryan Gracie

the best jiu jitsu Ryan Gracie

Carla - LS Jack

LS Jack - Sem Radar

VOCE ME FAZ ASSIM.

Marcao Cavalcante.

LS Jack - uma carta.

Ls Jack - Amanha Não Se Sabe

Coldplay - Life In Technicolor ii

Oswaldo Montenegro - História Estranha

Ultimo Show de Elvis Presley

Elvis Presley - My Way (Legendado)

I Can't Stop Loving You - Elvis Presley (legendado pt).wmv

Elvis Presley - Burning Love

Elvis Presley - Always On My Mind

Elvis Presley - I Cant Help Falling In Love With You

domingo, 12 de agosto de 2012

Lounge Beats 2 by Paulo Arruda | Deep & Jazz





Instrumental jazz music- Relax and lounge



Instrumental jazz music- Relax and lounge



Pixinguinha - Rosa

Chico Buarque - Box 01 - DVD1 - Meu Caro Amigo - Parte 1/7

Ludmila Ferber - Nunca pare de lutar 2011



Quando tudo diz que não



Vídeo Apocalipse – Damares Clipes Damares Ouvir Músicas Gospel

Finalizações Ryan Gracie JR

Vitor Belfort Fight Highlights

JIU JITSU, NA VEIA, VIDA E ALMA. Apaga mas não bate - RYAN GRACIE

JIU JITSU, NA VEIA, VIDA E ALMA.


Marcao Cavalcante

Marcão Cavalcante



Roberto Carlos - De que vale tudo isto

A dama de vermelho - Bruno e Marrone.wmv


A DOR DO AMOR É COM OUTRO AMOR QUE A GENTE CURA... BOATE AZUL.Boate Azul - Bruno e Marrone

A DOR DO AMOR É COM OUTRO AMOR QUE A GENTE CURA...
BOATE AZUL.
MARCAO CAVALCANTE

Bruno e Marrone(Já Não Sei Mais Nada)


AS VEZES FUGIMOS DAS PESSOAS COM MEDO DE SE APAIXONAR. EM ALGUM MOMENTO, TODO SENTIMENTO VEM DE VOLTA E O SENTIMENTO É UNICO. VALEU A PENA? VICTOR E LÉO - NÃO ME PERDOEI - Momentos Midi


AS VEZES FUGIMOS DAS PESSOAS COM MEDO DE SE APAIXONAR. EM ALGUM MOMENTO, TODO SENTIMENTO VEM DE VOLTA E O SENTIMENTO É UNICO. VALEU A PENA?

SEI QUE CAMINHEI , DECISÕES TOMADAS, RELACIONAMENTOS PERDIDOS E O DESEJO DE SEGUIR EM FRENTE AINDA
PERDURA. QUE DEUS NOS ILUMINE E ABRA NOSSOS OLHOS DA ALMA.

SE VOCE AMA, DIGA. SE VOCE ERA FELIZ, PROCURE E VAI SER FELIZ.

Marcão Cavalcante

Marcao Cavalcante

(Clipe) Paula Fernandes - Eu Sem Você (Musica Nova 2012)


AMOR? EXEMPLO PARA MIM É ESTE.

MEU AVÔ PEDRO, APONTANDO PARA O LOCAL ONDE ELE TEM UMA FOTO NA QUAL MINHA VÓ QUANDO JOVEM, TIROU UMA . AMOR PARA UMA VIDA TODA.

TIVERAM INUMEROS FILHOS, NETOS E COM CERTEZA NÃO FOI FÁCIL. AS PESSOAS DE ANTES TINHAM CORAGEM, PERSISTÊNCIA E AMOR VERDADEIRO.

E AINDA, TEM GENTE QUE A MODERNIDADE MELHOROU.

HOUVE O ESFRIAMENTO DAS RELAÇÕES ENTRE  HOMEM E MULHER.

AVÔ PEDRO, EXEMPLO DE HOMEM, CIDADÃO E MORAL.


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=336540223047697&set=t.100000751677538&type=3&theater


MARCAO CAVALCANTE

FELIZ DIA DOS PAIS...PARABENS A TODOS OS PAIS, FILHOS E AQUELES QUE PARTIRAM PARA DEUS.

PARABENS A TODOS OS PAIS, FILHOS E AQUELES QUE PARTIRAM PARA DEUS.
BEIJOS, NALMA.

Pitty - Na Sua Estante - ao vivo


sábado, 11 de agosto de 2012

Travie McCoy: Billionaire ft. Bruno Mars [OFFICIAL VIDEO]


Bruno Mars - Just The Way You Are [Official Video]


Bruno Mars - Grenade [Official Music Video]


Bruno Mars - It Will Rain [Official Music Video]


Gabriel o Pensador 12345meia 78 Ao VIVO MTV

ERA MAIS OU MENOS ASSIM. AGORA , NO AGUARDO.

Gabriel O Pensador -Nunca Serão (Dirigido por José Padilha e Oscar Rodri...


Gabriel o Pensador Astronauta Ao VIVO MTV

ESTOU NESTE MOMENTO ASSIM: PENSATIVO...

Gabriel o Pensador Pra Onde Vai Ao VIVO MTV


Gabriel , o pensador - Festa da musica tupiniquim


Oswaldo Montenegro gravando a musica "Eu quero ser feliz agora"


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Heróis da Resistência - O Que Eu Sempre Quis


Voce vai lembrar de mim - Nenhum de Nós (letra)


Titãs - Porque eu sei que é amor


Palavras ao Vento - Cássia Eller


Chico Buarque - Eu Te Amo (Carioca Ao Vivo) [CC]


Chico Buarque - O Meu Amor


Chico Buarque - Essa Moça Tá Diferente


Amy Winehouse - Love Is A Losing Game


Amy Winehouse - You Know I'm No Good


Amy Winehouse - Back To Black


Amy Winehouse - Rehab


Coldplay - The Hardest Part


Meio artístico elogia anúncio de recriação da Secretaria Municipal de Cultura. É ISSO QUE A GENTE QUER E É ISSO QUE ACONTECEU. Marcão Cavalcante Marcao Cavalcante

Meio artístico elogia anúncio de recriação da Secretaria Municipal de Cultura



Compromisso assumido pelo prefeito Marcio Lacerda para a próxima gestão atende reivindicação da categoria



O meio artístico de Belo Horizonte recebeu de forma positiva a recriação da Secretaria Municipal de Cultura, anunciada na quarta-feira (8/8) pelo prefeito Marcio Lacerda, candidato à reeleição pela coligação
“BH Segue em Frente”, como parte de seu plano de governo para o próximo mandato.



A medida é fruto de debates de Marcio com representantes do setor, incluindo três encontros com a classe, o último deles na noite da última terça-feira (7/8). “A partir dessas reuniões percebemos que a necessidade da volta da Secretaria Municipal de Cultura é quase um consenso entre todos os militantes do setor cultural”, explicou Marcio.



Atualmente o órgão gestor da cultura na capital mineira é a Fundação Municipal de Cultura (FMC), criada pela Lei 9011/2005, que implantou uma reforma administrativa na Prefeitura.



Marcio assegurou que o impulso ao setor cultural será uma das vertentes mais importantes de seu governo nos próximos quatro anos. Segundo ele, a cultura será um eixo estratégico para todas as áreas de sua administração.



Recepção positiva

O ator Ílvio Amaral destacou a importância e o significado do anúncio para a classe. "Fico na maior felicidade. Para nossa categoria, é um ganho enorme. Foi uma pena quando acabaram com a secretaria, quando virou fundação. Falo isso sem qualquer desmerecimento em relação às pessoas que estavam na Fundação Municipal de Cultura, mas ter uma Secretaria de Cultura é muito importante."



Paulo Santos, músico do Uakti, ressaltou que a iniciativa é bem-vinda e muito boa para a arte. “Uma secretaria municipal, com verba para gerir projetos e contribuir para a direcionar o caminho da arte em Belo Horizonte, é muito bem-vinda, com pessoas que pensam e possam cnduzir os projetos e criar novos caminhos, tendo uma boa direção. E todas essa questões passam pela verba que será colocada na secretaria. Acho muito interessante. Bom para a arte”, afirmou. Ele ressaltou ainda que a Secretaria Municipal de Cultura deverá trabalhar em sintonia com a pasta estadual da área.



Divulgar a cidade

O empresário do Jota Quest, Helber Luiz de Oliveira, destacou a importância de uma conexão do setor com a Prefeitura para melhor divulgar a cidade por meio de eventos culturais.



“Eu acho primordial esta ação para que se estabeleça um referencial para todos que trabalham na área cultural de Belo Horizonte. Existe uma grande necessidade de se fortalecer uma conexão com a Prefeitura no intuito de melhor divulgar a cidade de Belo Horizonte por meio dos grandes eventos e festas. E tendo a Secretaria Municipal de Cultura para ser esta ponte entre o executivo e as pessoas que fazem acontecer nesta área tão rica como a área cultural da capital, a maior beneficiada será a cidade de Belo Horizonte”, afirmou.



Gestão da cultura

O artista plástico Marco Tulio Resende comemorou o anúncio. “Voltamos a uma situação da qual não deveríamos ter saído. Uma Secretaria de Cultura é extremamente importante como órgão que poderá viabilizar as iniciativas e projetos, a gestão da cultura. Só tenho a parabenizar. Fiquei muito feliz. É uma iniciativa legítima, um anseio de todos nós e que vem em boa hora”, afirmou.



Para a empresária do setor de eventos Márcia Ribeiro, da Nó de Rosas Produções, o anúncio demonstra comprometimento de Marcio Lacerda com a classe. Ela reconhece iniciativas positivas desde a implantação da fundação, mas considera que uma secretaria com um orçamento adequado coloca a defesa das políticas culturais no mesmo nível das demais áreas dentro da Prefeitura.



“Retomar a Secretaria Municipal de Cultura é colocar o setor cultural no mesmo patamar das outras áreas. Não dá para a cultura ser tratada em outra instância. Tão importante quanto recriar a secretaria, é garantir o orçamento necessário para que ela consiga desenvolver as ações e projetos que estamos levantando”, disse ela.



Beatriz Lemos de Sá, proprietária da Lemos de Sá Galeria de Arte, também pondera que tão fundamental quanto a existência da secretaria é que o funcionamento dela como parte da engrenagem da administração municipal seja levada adiante de forma adequada. “A criação da secretaria é, sem dúvida, um fato importantíssimo e que agrada muito à classe cultural e artística de Belo Horizonte. O mais importante, e o que nós esperamos, é que o novo órgão funcione realmente como um facilitador e impulsionador da produção cultural da cidade”, declarou Beatriz.

É ISSO QUE A GENTE QUER E É ISSO QUE ACONTECEU.

Marcão Cavalcante

Marcao Cavalcante

Coldplay - Talk


Quando não tiver mais nada....

Engenheiros do Hawaii - Terra de Gigantes/ Numeros (Acustico MTV)

Engenheiros do Hawaii - Infinita Highway (Acustico MTV)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Jiu-Jitsu Arte Suave

Pregador Luo - Bate Pesadão 2

Mag - Vale tudo

Jiu Jitsu-Apaga Mas Não Bate Apc 16.wmv

WAGNER MOURA - PRATICANTE E FÃ DE JIU-JITSU

La Bamba - Ritchie Valens - Come On, Let's Go

Los Lobos - We Belong Together

Los Lobos - Oh Donna (by Ritchie Valens) with lyrics subtitulo español

Oswaldo Montenegro - Velhos Amigos - Clipe oficial

Oswaldo Montenegro - A vida quis assim - Clipe oficial

Coldplay - Viva La Vida


Oswaldo Montenegro - Se Puder Sem Medo

Metade- Oswaldo Montenegro,editado.

Oswaldo Montenegro - Cigana

Oswaldo Montenegro - Quando a gente ama

Oswaldo Montenegro - Estrada Nova

Clipe oficial - "Eu quero ser feliz agora", música de Oswaldo Montenegro...

Conselho de Transição entrega poder à Assembleia líbia

Conselho de Transição entrega poder à Assembleia líbia

AFP - Agence France-Presse
Publicação: 08/08/2012 19:59Atualização:
O Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia entregou os poderes à Assembleia formada nas eleições de 7 de julho passado, em uma cerimônia na noite desta quarta-feira que marcou a primeira transição democrática após quarenta anos de ditadura de Muammar Kadhafi.

"Entrego nossas prerrogativas constitucionais ao Congresso Geral Nacional, que é de agora em diante o representante legítimo do povo líbio", declarou o presidente do CNT, Mustapha Abdelkhalil, ao passar simbolicamente o poder ao decano dos 200 membros da CGN eleitos há um mês, na primeira votação livre já realizada na Líbia.

Toyota anuncia investimento de R$ 1 bi para construção de fábrica de motores no Brasil

Toyota anuncia investimento de R$ 1 bi para construção de fábrica de motores no Brasil

Agência Brasil
Publicação: 08/08/2012 17:01Atualização:
O presidente mundial da Toyota, Akio Toyoda, anunciou hoje a construção de uma fábrica de motores no Brasil, em Porto Feliz (SP), com previsão de R$ 1 bilhão em investimentos e criação de 600 empregos. Ele reuniu-se com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Toyoda está no Brasil para inauguração da nova fábrica da montadora, amanhã, em Sorocaba (SP).

Com a fabricação de motores no Brasil, a partir de 2015, os modelos Corolla e Etios, compacto que será lançado em setembro, terão índice de nacionalização de 85%, de acordo com o governo. “Com quase todos os componentes fabricados aqui, podemos dizer que o Etios será um carro brasileiro feito para brasileiros. O aumento do índice de nacionalização é um sinal de gratidão e cooperação a mais com a sociedade brasileira”, disse.

O Etios começa a ser produzido amanhã e deve ser lançado no mercado brasileiro na segunda quinzena de setembro ainda com motor importado do Japão. O preço ainda não está definido. A fábrica de Sorocaba, a terceira da Toyota no Brasil, custou cerca de US$ 600 milhões e vai gerar 1,7 mil empregos diretos.

De acordo com Hisayuki Inoue, diretor da divisão América Latina, África e Oriente Médio do grupo japonês, a expectativa é produzir 70 mil veículos por ano na unidade que está sendo inaugurada. A ampliação das atividades da Toyota no Brasil “visa a aumentar a produção local, já que o mercado brasileiro dá sinais de crescimento consistente”, de acordo com comunicado da companhia.

Cantor Magro, da banda MPB4, morre aos 68 anos em São Paulo

Cantor Magro, da banda MPB4, morre aos 68 anos em São Paulo

Agência Estado
Publicação: 08/08/2012 11:46Atualização: 08/08/2012 11:57
 (Divulgação MPB4)

Morreu na manhã desta quarta-feira, aos 68 anos, o cantor e instrumentista Antônio José Waghabi Filho, o Magro do quarteto MPB4. Ele estava internado desde a semana passada no Hospital Santa Catarina, na Bela Vista, centro de São Paulo, onde recebia o tratamento contra um câncer. O óbito do cantor foi confirmado às 6h desta quarta.

Em nota de pesar publicada no site oficial do grupo MPB-4, o colega Aquiles Rique Reis lamenta o falecimento. "Meus amigos, depois de longa luta pela vida, Antonio José Waghabi Filho, o Magro do MPB4, nos deixou. Com ele vai junto uma parte considerável do vocal brasileiro. Com ele foi a minha música. Fraternalmente, Aquiles."

O corpo do cantor será velado até as 21h desta quarta na Hospital da Beneficência Portuguesa, de onde seguirá para o Crematório da Vila Alpina para a cerimônia de cremação, que está agendada para as 11h da próxima quinta-feira.

Magro iniciou sua carreira com estudos de piano e integrou a banda Sociedade Musical Patápio Silva como segundo clarinetista. Em 1959, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou música com especialistas da área.

Bebê deverá sair da maternidade com Cartão SUS

Bebê deverá sair da maternidade com Cartão SUS

Agência Estado
Publicação: 08/08/2012 19:10Atualização: 08/08/2012 20:48
O Ministério da Saúde vai lançar um edital para a compra de 12 mil impressoras usadas na emissão de Cartão SUS. As máquinas serão distribuídas nas maternidades do País, que ficarão encarregadas de confeccionar o cartão para todas as crianças nascidas, afirmou o secretário de Gestão Estratégica e Participativa, Luiz Odorico Monteiro Andrade. "A ideia é o bebê sair da maternidade já com o documento", disse.

Pelo cronograma, completou, até o fim do ano dados de todas as Autorizações de Internação Hospitalar, informações ambulatoriais e de regulação do SUS estarão interligados e disponíveis para o usuário e profissionais de saúde. "A partir desta fase, todos os dados relativos ao paciente estarão reunidos. Tenha ele sido atendido na sua cidade ou não".

O Cartão SUS foi anunciado pelo governo há 14 anos. Desde então, a iniciativa se destacou apenas pelos constantes atrasos, por denúncias de irregularidades e transações suspeitas. Os gastos com o projeto superam os R$ 400 milhões. Boa parte dos cartões confeccionados na década de 1990 não chegaram nem mesmo a ser distribuídos nos municípios. As máquinas compradas na época não foram usadas e não têm mais utilidade.

Em 2011, o Ministério afirmava que até 2014 os registros eletrônicos estariam disponíveis nos municípios. "Por enquanto, não temos atraso", disse Monteiro Andrade. O edital para compra das impressoras está programado para ser publicado sexta-feira.
Agência Estado
Publicação: 08/08/2012 19:10Atualização: 08/08/2012 20:48
O Ministério da Saúde vai lançar um edital para a compra de 12 mil impressoras usadas na emissão de Cartão SUS. As máquinas serão distribuídas nas maternidades do País, que ficarão encarregadas de confeccionar o cartão para todas as crianças nascidas, afirmou o secretário de Gestão Estratégica e Participativa, Luiz Odorico Monteiro Andrade. "A ideia é o bebê sair da maternidade já com o documento", disse.

Pelo cronograma, completou, até o fim do ano dados de todas as Autorizações de Internação Hospitalar, informações ambulatoriais e de regulação do SUS estarão interligados e disponíveis para o usuário e profissionais de saúde. "A partir desta fase, todos os dados relativos ao paciente estarão reunidos. Tenha ele sido atendido na sua cidade ou não".

O Cartão SUS foi anunciado pelo governo há 14 anos. Desde então, a iniciativa se destacou apenas pelos constantes atrasos, por denúncias de irregularidades e transações suspeitas. Os gastos com o projeto superam os R$ 400 milhões. Boa parte dos cartões confeccionados na década de 1990 não chegaram nem mesmo a ser distribuídos nos municípios. As máquinas compradas na época não foram usadas e não têm mais utilidade.

Em 2011, o Ministério afirmava que até 2014 os registros eletrônicos estariam disponíveis nos municípios. "Por enquanto, não temos atraso", disse Monteiro Andrade. O edital para compra das impressoras está programado para ser publicado sexta-feira.

Marcio Lacerda terá quase a metade do tempo do horário eleitoral gratuito. Embate na TV começa dia 21. Na ordem de veiculação, Patrus será o primeiro a aparecer

Marcio Lacerda terá quase a metade do tempo do horário eleitoral gratuito. Embate na TV começa dia 21. Na ordem de veiculação, Patrus será o primeiro a aparecer

Alessandra Mello
Publicação: 09/08/2012 06:00Atualização: 09/08/2012 06:57
Com 14 minutos e 19 segundos, o prefeito Marcio Lacerda (PBH), candidato à reeleição em Belo Horizonte, terá quase a metade do tempo destinado à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, que começa a ser exibida no dia 21. Seu principal adversário, o ex-prefeito e ex-ministro Patrus Ananias (PT), terá direito a 8 minutos e 22 segundos. A definição dos minutos de cada um dos sete concorrentes na capital foi anunciada oficialmente ontem pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). Ao todo serão exibidos na televisão aberta, de segunda a sábado, dois blocos de 30 minutos cada de horário eleitoral. Ao longo do dia, cada candidato ainda terá direito a inserções de 30 segundos, distribuídas seguindo a mesma proporção do horário em bloco.

O TRE-MG também definiu a ordem de veiculação do horário eleitoral dos candidatos a prefeito e a vereador. Patrus Ananias vai abrir o horário eleitoral, que começa a ser exibido em uma segunda-feira. Lacerda fecha o bloco. Nos programas seguintes, a ordem de apresentação é invertida. O mesmo acontece com o programa dos candidatos a vereador, que será veiculado às terças, quintas e sábados. O PCO será o primeiro a aparecer no horário gratuito, com 27 segundos. A coligação PT/PMDB terá o maior tempo reservado para as eleições proporcionais, com 6 minutos e 46 segundos. Nos outros dias da semana, com exceção do domingo, vai ser exibido o programa dos candidatos a prefeito.

De acordo com a legislação eleitoral, um terço do horário é distribuído igualmente entre os candidatos e dois terços proporcionalmente ao número de representantes de cada partido na Câmara dos Deputados, considerado, no caso da coligação, o resultado da soma de representantes de todos os partidos que a integrarem.

A entrada em vigor do palanque eletrônico é aguardada com expectativa pelos candidatos, pois é quando de fato começa a campanha. Mas nem sempre o maior tempo na televisão garante a vitória do candidato. Nas últimas quatro eleições, apenas em 2008 Marcio Lacerda se elegeu prefeito com o dobro do tempo de todos os adversários (veja quadro). Mas, mesmo em vantagem no horário eleitoral – Lacerda tinha quase 11,5 minutos –, não foi uma disputa fácil. Ele terminou o primeiro turno com uma vantagem de pouco mais de 2% percentuais sobre Quintão, que tinha 5,2 minutos no horário eleitoral exibido no rádio e na televisão.

quantidade X qualidade Nas eleições anteriores, os candidatos com mais tempo não se elegeram. Mas em todos os casos a disputa no palanque eletrônico foi equilibrada, já que todos os principais candidatos tinham tempos considerados razoáveis no horário eleitoral gratuito. Para o cientista político Malcom Camargos, o mais importante não é ter a maior quantidade de minutos na televisão, mas um tempo suficiente para expor suas ideias e programas.

“Muitos minutos na televisão e no rádio não garantem a eleição, mas a falta deles contribui para a derrota”, afirma Camargos, citando, como exemplo, o caso da candidata do PCdoB à Prefeitura de Belo Horizonte nas eleições de 2008, a deputada federal Jô Moraes. Ela começou a disputa em primeiro lugar, mas, com pouco mais de um minuto no horário eleitoral, acabou terminando em terceiro lugar. Camargos lembra ainda que mais importante que os dois blocos diários de 30 minutos de propaganda na televisão e no rádio são as inserções ao longo da programação que todos os candidatos a prefeito têm direito. Em 2008, Lacerda teve ao longo da campanha direito a 1.062 inserções, contra 486 de Quintão e 159 de Jô Moraes.

MAIS DO QUE VAGAS EM UNIVERSIDADES FEDERAIS , QUE NÃO DEIXA DE SER LEGITIMAS. COMO FAZER COM QUE NÃO HAJA ACUMULO DE PROFISSIONAIS EM DETERMINADAS AREAS, DIFICULTANDO ASSIM, O INGRESSO NA AREA DE MERCADO DO TRABALHO.

MAIS DO QUE VAGAS EM UNIVERSIDADES FEDERAIS , QUE NÃO DEIXA DE SER LEGITIMAS. COMO FAZER COM QUE NÃO HAJA ACUMULO DE PROFISSIONAIS EM DETERMINADAS AREAS, DIFICULTANDO ASSIM, O INGRESSO NA AREA DE MERCADO DO TRABALHO.



Cotas raciais e sociais provocam discórdia nas Universidades Federais.Projeto que reserva metade das matrículas em universidades gratuitas para alunos da rede pública divide opiniões, multiplica disputa por vagas de livre concorrência e adiciona preocupação para candidatos ao ensino superior
Flávia Ayer, Paula Sarapu e Sandra Kiefer
Publicação: 09/08/2012 06:00Atualização: 09/08/2012 06:43
'A lei vai trazer mais igualdade para o vestibular da UFMG, que, apesar de pública, é a universidade mais elitizada de Minas. Quando pisei no pré-vestibular, vi matérias que nunca tinha visto em sala', Rubens Serafim, de 22 anos, aluno de escola pública em Sabinópolis, quinto vestibular (Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
"A lei vai trazer mais igualdade para o vestibular da UFMG, que, apesar de pública, é a universidade mais elitizada de Minas. Quando pisei no pré-vestibular, vi matérias que nunca tinha visto em sala", Rubens Serafim, de 22 anos, aluno de escola pública em Sabinópolis, quinto vestibular
A decisão do Congresso Nacional de aprovar reserva de metade das vagas nas universidades federais para estudantes que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas ainda será enviada à sanção da presidente Dilma Rousseff, mas já divide opiniões e sinaliza com uma modificação muito clara: o acirramento na briga pelas vagas de livre concorrência, que tendem a tornar-se duas vezes mais disputadas. O vestibular ainda mais afunilado dobra as exigências para alunos que não se enquadram no perfil beneficiado. Do outro lado da conta estão os alunos de baixa renda e da cota racial, com expectativa de ver facilitado o até então distante sonho de ingressar em uma universidade pública.

A expectativa é de que o Projeto de Lei 180/2008 ganhe a assinatura presidencial sem muitas ressalvas, já que é defendido pelo Executivo. As universidades terão quatro anos para se adequar depois que as novas regras forem publicadas. Em 10 anos o sistema deve ser reavaliado. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) informou que não pretende mudar seu processo de seleção no vestibular deste ano, cujas inscrições começam dia 13.

Em Minas, o projeto atinge 11 universidades federais, que oferecem 606 cursos com 30.003 vagas, de acordo com o Censo da Educação Superior de 2011, do Ministério da Educação (MEC). A medida também se aplica aos cinco Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do estado e ao Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet/MG). O projeto garante metade das vagas para os candidatos que cursaram integralmente o ensino médio na rede pública, o que, em território mineiro, representaria 15 mil cadeiras. O segundo critério define 50% dessas vagas, em cada curso e turno, para quem vem de família cuja renda seja de até um salário mínimo e meio por pessoa. A outra metade desse universo se destina a candidatos vindos de escolas públicas, com qualquer renda. As instituições também terão o desafio de fazer com que essa parcela retrate as proporções raciais da população. Para isso, a proporção de estudantes que se autodeclaram pretos, pardos ou indígenas deve ser no mínimo igual à porcentagem desses grupos verificada no Censo de cada estado. No caso de Minas, o mínimo é de 53,6%, dado observado para a população mineira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010.

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Emiro Barbini, prevê aumento em 100% na dificuldade para alunos de escolas particulares serem aprovados nas universidades públicas, o que vai exigir ainda mais preparo dos estudantes. Embora reconheça o cunho social da medida, Barbini a considera paliativa. “O problema de candidatos da rede pública ingressarem no ensino superior em instituições federais deveria ser atacado na melhoria da qualidade de ensino das escolas. As cotas ocultam a defasagem que tem que ser sanada na base. Os alunos deveriam concorrer de igual para igual”, afirma. Barbini ressalta que os bônus, ao contrário da reserva de vagas, seriam uma medida menos injusta. “Você melhora a nota de um aluno, mas não fecha as portas para outro”, avalia.

Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Julvan Moreira de Oliveira, do grupo Antropologia e Imaginário da Educação, afirma que o país tem uma conta histórica para acertar com camadas mais desfavorecidas. “Pensando apenas nos negros, com o fim da abolição descendentes foram jogados às margens da sociedade. As cotas são uma forma de o país corrigir distorções históricas”, afirma o professor, que não concorda com a redução do nível dos profissionais formados. “Universidades que já adotaram o sistema observaram que esses alunos têm rendimento igual ou superior aos demais”, ressalta.

De lados opostos

'Na minha opinião, o governo deveria melhorar o nível da escola pública desde a base, em vez de privilegiar os estudantes da rede pública. É um preconceito às avessas', Fábia Ciociola, de 19 anos, aluna de escola particular em Lavras, primeiro vestibular
"Na minha opinião, o governo deveria melhorar o nível da escola pública desde a base, em vez de privilegiar os estudantes da rede pública. É um preconceito às avessas", Fábia Ciociola, de 19 anos, aluna de escola particular em Lavras, primeiro vestibular
A divisão que as cotas registram entre especialistas se estende a vestibulandos. Aluno de uma escola pública de Sabinópolis, no Vale do Rio Doce, Rubens Serafim, de 22 anos, faz a quinta tentativa de ingressar no curso de medicina e é a favor da medida. Para melhorar sua chance e conquistar o sonho, faz pré-vestibular intensivo na capital. A rotina de estudo passa de 13 horas por dia. Aos domingos, Rubens concilia os livros e a monitoria em um bufê de festas infantis. “Para quem veio de escola pública, é um desafio passar no vestibular. Quando pisei no pré-vestibular, vi matérias que nunca tinha visto dentro de sala. No inglês do meu colégio, só aprendi as cores e os dias da semana. Lembro-me até hoje da professora, que falava do verbo ‘tóbi’ (verbo to be). Custei a entender o que era”, conta ele. “Essa lei vai trazer mais igualdade para o vestibular da UFMG, que, apesar de pública, é a universidade mais elitizada de Minas. Este ano, vou tentar para farmácia, porque já tenho pontos para isso, mas não vou desistir da medicina e continuarei no cursinho.”

Também candidata a medicina, Fábia Ciociola, de 19, se mudou de Lavras para a capital para fazer pré-vestibular. Ela é contra a mudança no sistema de cotas aprovada pelo Congresso e diz que o governo federal deveria voltar os olhos para a educação básica, para elevar a qualidade do ensino. “Na minha opinião, o governo deveria melhorar o nível da escola pública desde a base, em vez de privilegiar os estudantes da rede pública, que já entram com 50% de vantagem. Sinceramente, para quem estudou em escola particular e não tem direito a nenhuma cota está ficando difícil demais passar em medicina. É um preconceito às avessas”, afirma a jovem, que se dedica aos estudos de oito a nove horas por dia. “Já prestei o exame no Rio, em São Paulo e no Paraná, mas ainda não consegui a vaga. Vou tentar nas particulares, porque o acesso à UFMG ficou impossível.”

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Oração ao Arcanjo São Miguel

Maria passa na frente - Poderosa Oração

Adriana - Colo da Mãe

Abraço de Pai

Tua Família - Anjos de Resgate

Restitui- Toque no Altar( com legenda)

Abro mão - Toque no Altar (Restitui)

Pearl Jam MTV Unplugged-1992 Acustico completo

domingo, 5 de agosto de 2012

Engenheiros do Hawaii - O Preço (Acústico MTV)

E QUEM DISSE QUE NÃO EXISTE RELACIONAMENTOS FELIZES?

E QUEM DISSE QUE NÃO EXISTE RELACIONAMENTOS FELIZES?

PARABENS A ELES E A TODOS AQUELES QUE CONSEGUIRAM CONHECER SUAS ALMAS GEMEAS.



Casal de Itabira comemora Bodas de Vinho reunindo toda a famíliaO amor pode resistir a tudo: o segredo dos dois envolve dedicação e carinho mútuos

Déa Januzzi - Estado de Minas
Publicação: 05/08/2012 11:05Atualização:
 (Arquivo Pessoal)

Desta vez, eles ficaram sentados no altar o tempo todo, mas a emoção foi tão intensa quanto a de 28 de julho de 1942. De mãos dadas, Joaquim Augusto dos Campos Rosa, de 94 anos, e Matilde Felipe, de 92, renovaram os votos e as promessas de amor para sempre: “Eu, Matilde, prometo amá-lo e respeitá-lo, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.” Os sete filhos, sete noras, 17 netos, 7 bisnetos e cerca de 100 amigos presentes à cerimônia religiosa se emocionaram. Na Igreja da Saúde, no Centro de Itabira, Região Central do estado, a prova de que o amor pode resistir ao tempo e a todas as dificuldades de relacionamento. Lá estava, no sábado, 28 de julho de 2012, o mesmo casal, a celebrar Bodas de Vinho 70 anos depois.

Cercados pelo carinho da família e dos amigos, Joaquim e Matilde entraram na igreja ao som do Hino da Família, depois vieram Glória, glória, aleluia, A barca (Pescador de homens) e, na bênção final, Nossa Senhora, música de Roberto Carlos. Na saída da igreja, uma chuva de arroz abençoou os cônjuges como da primeira vez.

Desde que se conheceram, há 70 anos, eles não só se casaram e construíram uma família como são queridos por todos na cidade de Carlos Drummond de Andrade. Lúcidos, cuidadosos um com o outro, Joaquim e Matilde vivem num casarão tombado pelo patrimônio histórico, na Rua Tiradentes, número 5. O casarão tem sete quartos, salas e um quintal com 18 pés de jabuticaba, além de jardim com rosas, que Joaquim colhe todos os dias de manhã para oferecer à amada. “Ele sempre acorda antes de mim e vai lá para o quintal cuidar das plantas e colher as rosas”, conta Matilde.

 (Arquivo Pessoal)
Juntos, eles tomam o café que Matilde faz questão de preparar para Joaquim, inclusive, ela não deixa também de fazer a sopa da noite para que ele durma aquecido. À tarde, os dois vão à padaria, sempre de mãos dadas, sob o olhar de admiração dos moradores de Itabira. Matilde declara que eles namoram até hoje, que um cuida do outro, que nunca houve briga, apenas pequenos desentendimentos normais, mas que depois das briguinhas o amor fica maior. À noite, eles rezam o terço juntos, assistem à televisão e jogam baralho. Joaquim não abre mão de um bom vinho à noite e de uma latinha de cerveja, para relaxar.

Que os filhos, noras, netos e bisnetos não se esqueçam do mandamento número um: “Se qualquer um deles vier a uma festa em Itabira, o pouso tem que ser na casa de Joaquim e Matilde. Eles não abrem mão de recepcionar, inclusive, os amigos deles. Afinal, tem lugar para todo mundo. Matilde sabe tocar violão, gosta de reunir todo mundo em volta dela e é confeiteira de mão cheia. O amor em pedaços dela é famoso. Para as bodas de 70 anos, com a ajuda da sobrinha Mônica, ela fez 300 desses doces.

TAREFAS


A festa começou uma semana antes. A família fez saraus para decidir sobre a programação. “As pessoas se dividiram nos afazeres da missa, fazendo as leituras no altar, as fotos, filmando, cantando no coral, tudo. Durante o ofertório, os bisnetos entraram em procissão levando rosas para os bisavós. Teve a renovação de votos, quando foi difícil esconder as lágrimas. Coisa maravilhosa poder falar isso depois de 70 anos de casados! “Depois o beijo na boca. E eles bem que gostam de beijar. O momento engraçado da missa foi quando o padre, impressionado com a idade dos dois, perguntou quantos anos a minha avó tinha. Todo mundo sabe que ela é vaidosa e até hoje diz que parou nos 83. Depois, o padre notou o fora e prosseguiu com a cerimônia”, conta Karina Penido Rosa, a neta mais velha do casal, que não se cansa de elogiar os avós.

Segundo ela, Matilde e seu Rosa formam um casal lindo e amoroso. “Todos se encantam ao vê-los andar pela cidade de mãos dadas. As gentilezas e cortesias que apenas um homem antigo sabe fazer com naturalidade, meu avô as mantêm até hoje. Nunca a deixa sozinha em casa, sempre a lembra do casaco antes de sair para não resfriar, no creme para o rosto, dá as mãos, abre as portas. São eternos namorados.”

A neta virou repórter e admiradora

Karina enviou e-mails e fotos para a redação contando a história dos avós. “Meu nome é Karina. Sou a neta mais velha e gostaria de falar sobre a história de meus avós. Nesta altura da vida, eles merecem a alegria das homenagens que receberão pelas Bodas de Vinho. Comemorar 70 anos de união, com o casal lúcido e feliz, é um marco extraordinário nos dias de hoje. E daqui para frente, fato como esse será cada vez mais raro”, conta ela, que descreve. “Minha avó também enche meu avô de mimos. Antigamente, fazia camisas para o marido e para os sete filhos, cortava os cabelos dos meninos muito bem. Começaram até a aparecer clientes para as camisas, muito benfeitas, e os cortes de cabelo. Mas a lida de mulher e mãe já tomava todo o tempo da jovem Matilde”, comenta a neta. “Ela se preocupa até hoje com as refeições da casa, faz a sopinha que ele gosta e não deixa de jogar baralho com seu companheiro toda noite. A união feliz desse casal é um exemplo para todos aqueles que pretendem estender seu casamento ao máximo e mantê-lo belo e feliz. Mesmo que a vida não nos permita chegar a completar Bodas de Vinho, fica a dica dos meus avós para um casamento feliz: carinho e atenção sempre.”

Ao assumir a missão de ser repórter por um dia, nas bodas dos avós, Karina não se esqueceu de nenhum detalhe da festa, além de enviar inúmeras fotos que dariam um caderno Bem Viver inteiro: “Os convidados jogaram arroz nos noivos, mas muito preocupados para que os dois não escorregassem e caíssem. "Cuidado com o aparelho de surdez do meu avô!", gritei, desesperada. “Gente, meu avô tem um carro velho que é seu xodó, uma Elba verde 1986. Ele não dirige mais, porque a família acha perigoso para ele e para os outros na rua. Mas a Elba foi buscá-los na igreja, toda enfeitada com latinhas da cerveja predileta do vovô, balões e dizeres escritos com batom. Enfim, foi uma festa inesquecível. Todos os familiares honrados por participarem desse momento sublime, tão raro, tão abençoado.”

Ira e Samuel Rosa - Tarde Vazia

Lenine - Tudo Por Acaso

O Último Pôr-do-Sol - Lenine

EU QUERO TCHU EU QUERO TCHA - JOÃO LUCAS E MARCELO - (VILLA MIX) NOVO HI...

BALADA BOA GUSTTAVO LIMA NOVO

FESTA DE PEÃO...


QUEM SABE ONDE TERA EM AGOSTO / SETEMBRO?

Marcao Cavalcante

Michel Teló - Ai Se Eu Te Pego - Oficial (Assim você me mata)

Na minha humilde residencia... Quem topa? HUMILDE RESIDÊNCIA - OFICIAL - DVD MICHEL NA BALADA - Michel Teló



Roberto Carlos - Eu Te Darei o Céu

Roberto Carlos - Por isso corro demais - 1967

ENTENDEU, POR QUE CORRO DEMAIS?

50 Cent feat. Justin Timberlake - Ayo Technology

My Love

Justin Timberlake - Sexy Back

T.I ft Justin Timberlake Dead And Gone

No Love - Eminem feat Lil Wayne

Rock In Rio 2011 - Tributo a Legião Urbana

FIM DE SEMANA MARAVILHOSO, OBRIGADO DEUS, FILHO, FAMILIA E VOCE, MINHA BELA , MULHER. MARCAO CAVALCANTE . Oswaldo Montenegro - Quando a gente ama

FIM DE SEMANA MARAVILHOSO, OBRIGADO DEUS, FILHO, FAMILIA E VOCE, MINHA BELA , MULHER. MARCAO CAVALCANTE .

Oswaldo Montenegro - Quando a gente ama

Acordo interno no partido, novas costuras políticas e chance reduzida de se eleger, entre outras razões, levaram 907 candidatos a desistir em MG

Acordo interno no partido, novas costuras políticas e chance reduzida de se eleger, entre outras razões, levaram 907 candidatos a desistir em MG

Daniel Camargos -
Publicação: 04/08/2012 07:56Atualização:
Construir uma candidatura não é fácil. Até conseguir disputar um cargo, o candidato precisa de um partido, de ser “ficha-limpa” e trabalhar a base. Mas 907 candidatos, antes mesmo de começar a campanha, desistiram depois de se registrar na Justiça Eleitoral para disputar vaga de vereador. O número é muito maior do que os cancelamentos na eleição de 2008, quando 87 mudaram de ideia. Os motivos são variados: desde acordo interno no partido, passando por costuras políticas até a percepção posterior de muitos de que não teriam chance de vitória.

No ano passado, o presidente da Força Sindical em Minas Gerais, Rogério Fernandes, aderiu ao PSDB e era apontado como provável candidato a vereador. Ele chegou a registrar a candidatura, mas a aliança em torno do nome de Marcio Lacerda (PSB) fez água, os petistas lançaram candidatura e os tucanos continuaram com o socialista. “A campanha de Marcio é mais importante do que a minha”, avalia Fernandes, que virou coordenador da campanha junto aos sindicalistas.

Depois do rompimento com o PT, conquistar o apoio de sindicalistas passou a ser prioridade da campanha de Lacerda. “Fiz um gesto de solidariedade e desprendimento. BH precisa de emprego de qualidade”, afirma Fernandes, revelando um dos seus objetivos. Uma das propostas é a criação de uma Secretaria do Trabalho, para a qual ele se postula como provável secretário em caso de vitória de Lacerda. A Força Sindical congrega 1,8 milhão de trabalhadores em 253 sindicatos no estado.

Outro arregimentado para a campanha de Lacerda e que desistiu foi Marco Cavalcante, que era candidato pelo PT, mas pediu até a desfiliação do partido. “Preferi sair do partido e assumir a coordenação de Vilas e Favelas da campanha do Marcio”, afirma. Ele já pediu a filiação ao PSB.

No PDT, quatro candidatos desistiram depois do registro. A explicação é do presidente municipal da legenda, deputado estadual Sargento Rodrigues: “Os partidos têm dificuldade de preencher a cota das mulheres. Mandamos o nome de 47 homens, que conseguimos primeiro. Mas depois reunimos as nove mulheres e foi preciso cortar quatro”.

De acordo com ele, a orientação para exclusão de quatro nomes foi do juiz eleitoral. A decisão de quem deveria renunciar foi do partido. “Fizemos avaliação para decidir”, explica. A percepção foi possível com entrevistas com os candidatos, quando foi possível perceber quem tinha mais capacidade.

Cerca de 60% dos prefeitos candidatos no país devem conseguir o segundo mandato

Cerca de 60% dos prefeitos candidatos no país devem conseguir o segundo mandato

Isabella Souto -
Publicação: 05/08/2012 07:09Atualização: 05/08/2012 07:11
Os cerca de 138 milhões de eleitores brasileiros devem garantir a reeleição a 1.660 prefeitos – o que equivale a 60,7% dos 2.736 gestores que tentarão ficar mais quatro anos no poder. Essa, pelo menos, é a estimativa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), feita pela média dos resultados das três eleições municipais já realizadas depois da adoção do instituto da reeleição no Brasil. Nas duas primeiras disputas envolvendo prefeitos, 58,2% deles passaram no teste das urnas. Há quatro anos, foi bem mais: 65,9%.

O levantamento mostra ainda que a cada eleição tem aumentado o interesse dos gestores em disputar mais um mandato: se em 2000 e 2004 a média foi em torno de 60%, nos dois últimos pleitos ultrapassou os 70%. Uma das razões que podem explicar esse fato, segundo a CNM, é a melhoria dos indicadores fiscais e a gestão dos municípios. Mas embora o número de prefeitos que disputam a reeleição seja grande, a CNM avalia que muitos deles ainda se sentem desmotivados a tentar permanecer no cargo.

Entre as razões apontadas pelo presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, estão a fiscalização ostensiva que sofrem do Ministério Público e da mída, muito superior, segundo ele, àquela feita em relação aos governadores, e acordos políticos e partidários – na maioria das vezes cumpridos pelas legendas – para que na eleição seguinte o mandato seja disputado pelo vice-prefeito. Há muitos casos também de pressão dos familiares do político para que ele não volte à cadeira.

“Tem muitos que não querem (candidatar) porque sabem que é muito duro ser prefeito. A lei é igual para todos, mas é aplicada mais em quem está na ponta. É muito fácil bater em pequeno. A gente não vê a mesma cobrança do presidente e dos governadores”, justifica. Ziulkoski lembra que desde a aprovação pelo Congresso Nacional do instituto da reeleição, todos os presidentes da República disputaram um segundo mandato: caso de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e, ao que tudo indica, da presidente Dilma Rousseff (PT). A grande maioria dos governadores também tenta a reeleição.

E a maioria é reeleita, assim como no caso dos prefeitos. Em 2000 e 2004, 58,2% daqueles que foram novamente às urnas conquistaram o segundo mandato. Na eleição passada o índice subiu para 65,9%. “Isso mostra que os prefeitos, em sua maioria, são bons gestores e os eleitores estão satisfeitos”, comenta Ziulkoski, que é favorável à possibilidade de um governo que dure oito anos. Para ele, a expectativa de uma vitória seguida nas urnas faz com que o administrador “capriche” na sua gestão para ser aprovado quatro anos depois.

Classe C gasta mais com vestuário que com educação dos filhos

Classe C gasta mais com vestuário que com educação dos filhos

Vera Batista -
Marinella Castro -
Publicação: 05/08/2012 07:20Atualização:

Alexandre Guzanshe/EM DA Press (Zilneide Ferreira e Adenilson de Jesus Moura gastam três vezes mais com vestuário do que com a educação do filho, que tem 5 anos de idade)
Alexandre Guzanshe/EM DA Press
Quando o assunto é escolher entre investir em educação ou na aparência, o brasileiro prefere se sentir bem diante do espelho. A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comprovou que a escolaridade ocupa apenas 3% do orçamento, enquanto os desembolsos com vestuário totalizam 5,5%. Essa opção é ainda mais visível na Classe C, que representa 54% da população e 49% do consumo de roupas no país. “A nova classe média, sem dúvida, prefere gastar com roupa do que comprar um livro. Mais de 23% de tudo que entra vai para esse fim. Quem ganha R$ 1,5 mil mensais, usa pelo menos R$ 350 com moda e beleza”, disse Cristina Marinho, especialista em Marketing da Moda e Comportamento do Consumidor.

A tendência é que esse percentual aumente, porque a Classe C vê a moda como um passaporte para a inclusão social, uma forma de ser aceita. Não se trata de consumo leviano, mas do reflexo da melhoria da qualidade de vida. Pesquisa da N. Marinho Marketing apontou que, nesse grupo, a maioria são mulheres com nível superior completo, acesso à internet, que se inspiram no que usam as celebridades e as protagonistas de novelas. Não estão preocupadas com marca. Querem roupa de qualidade, elegante, com bom acabamento, sem gastar muito. Os homens, esses sim, gostam de ostentar etiqueta famosa, de griffe estrangeira. Para Renato Meirelles, presidente do Instituto Data Popular, a comparação entre vestuário e estudo não sobrevive fora do contexto histórico e social.

“Roupa não é supérfluo. A Classe C entrou para o mercado de trabalho, 83% têm carteira assinada e precisam ampliar o guarda-roupa”, opinou Meirelles. Ele ressalta um “certo preconceito” em relação à nova classe. É criticada porque compra roupa. Se não compra e usa modelo inadequado, esses mesmos que a criticam não lhe darão emprego ou a taxarão de brega. Da mesma forma, descarta o discurso de que essa fatia da sociedade não poupa para a educação dos filhos e que, sem o preparo das Classes A e B, puxa a qualidade do ensino para baixo. “A Classe C ainda carece de gêneros de primeira necessidade. Metade da população brasileira não tem máquina de lavar. Vai para o tanque depois de um cansativo dia de trabalho”, destacou.

O casal formado por Adenilson de Jesus Moura, auxiliar de produção em Belo Horizonte, e a cuidadora de idosos Zilneide Ferreira não consegue fugir dos gastos com vestuário. As despesas pesam no orçamento, mas são decisivas na inserção social. Segundo eles, investir em roupas é uma decisão que vai além da vaidade. “A gente precisa estar bem vestido para trabalhar”, afrima Adenilson, ressaltando que o custo do vestuário em sua família é pelo menos três vezes superior aos gastos com educação, mesmo considerando que pagam mensalidade de R$ 100 para o filho de cinco anos estudar em uma escola infantil particular. Zilneide, que também é mãe de dois adolescentes, com idades entre 16 e 17 anos, conta que os jovens não estão mais frequentando a escola. Com isso, a fatura com roupas supera gastos com livros ou materiais educativos, hoje quase inexistentes. “Adolescentes gostam de marcas cara, uma saída para comprar roupas não fica por menos de R$ 200”, compara.

Segundo Renato Meirelles, os gastos ainda pequenos da população com educação estão relacionados também à dinâmica do sistema. Ele aponta que, quando ocorre qualquer universalização, o primeiro movimento é de queda de qualidade. Na educação, porém, o fator determinante não é o despreparo, mas a quantidade reduzida de bons professores. “O Brasil não se preparou. Ouço gente dizer que o pai teve educação melhor. Pode ser. Mas há 30 anos só 40% da população tinha o ensino médio”, argumenta. Meirelles contesta as ironias lançadas contra o programa governamental Ciência sem Fronteiras (bolsas de estudo para pesquisa no exterior). “Precisamos escolher onde queremos chegar. É melhor mais doutores sabendo pouco menos, com perspectiva de avanço, ou uns poucos detendo o saber?”, questionou.

Qualificação pode vir a distância


A nova classe média brasileira investe na aparência, mas também está cada vez mais ligada na educação. Ela ainda conta, em grande escala, com a escola pública – que alivia o orçamento doméstico –, mas investe também em tecnologias que melhoram a qualidade do ensino. A classe ascendente também tem movimentado negócios em educação específicos para atender a demanda de quem tem orçamento apertado, mas começa a perceber a importância da qualificação. Segundo Marcelo Neri, coordenador do Centro de Pesquisas Sociais da Fundação Getúlio Vargas, um dos mais brilhante sinais que apontam para um futuro promissor da classe média é que os filhos são mais bem educados que os pais.


Flávio Correia e Rosalina Amâncio gastam muito com roupas, mas também investem na educação dos filhos  (Alexandre Guzanshe/EM DA Press)
Flávio Correia e Rosalina Amâncio gastam muito com roupas, mas também investem na educação dos filhos
Dos quatro filhos de Rosalina Amâncio, auxiliar de cozinha, três estão na escola pública. Apenas o mais novo, com 2 anos ainda não frequenta a escola. Rosalina e o marido, o caixa Flávio Correia, fazem parte da parcela da população brasileira que ascendeu à classe média. Observando o orçamento familiar, o casal diz que despesas como o vestuário têm peso maior para a família que a educação, uma vez que a escola particular só deve entrar na lista de despesas na medida em que os filhos cresceram e chegarem à faculdade. Uma compra de roupas para toda a família sai por aproximadamente R$ 700 e precisa ser feita duas vezes ao ano. Rosalina e Flávio consideram importante investir em educação e por isso compraram um computador para facilitar a pesquisa das crianças. Para eles, que têm uma família grande para os padrões atuais – a média brasileira é de 1,8 filho, segundo o IBGE –, os gastos com vestuário se destacam no orçamento. “Roupas e calçados são itens caros. Como a escola é pública, pesa mais que a educação.”

De olho na necessidade de famílias como a de Rosalina e Flávio, algumas instituições brasileiras de ensino superior criaram estratégias para a inserção da classe emergente no mercado de trabalho. A União Educacional de Brasília (Uneb) adotou a educação à distância. A idéia, segundo o diretor-executivo Marcelino Hermida, é usar tecnologias inovadoras em benefício do aluno, sem baixar a qualidade. “Quanto mais investimento em educação, maior a empregabilidade e o reconhecimento profissional.”

Injustiça histórica para não esquecer »Prefeitura de Araguari cria roteiro turístico e relembra os 75 anos do caso dos irmãos Naves. Eles foram condenados por assassinato de homem que não tinha morrido

Injustiça histórica para não esquecer »Prefeitura de Araguari cria roteiro turístico e relembra os 75 anos do caso dos irmãos Naves. Eles foram condenados por assassinato de homem que não tinha morrido

Paulo Henrique Lobato -
Publicação: 05/08/2012 07:07Atualização:
Araguari – A obra em ritmo acelerado no sobrado de número 1.098 da Rua Coronel José Ferreira Alves, em Araguari, transformará o centenário casarão num moderno teatro. Por ironia, o novo cartão-postal será palco de peça inspirada num drama que ocorreu no mesmo imóvel, antigo fórum e cadeia da cidade do Triângulo Mineiro. Foi ali que se desenrolou boa parte do chamado caso dos irmãos Naves, tido por muitos juristas como o maior erro do Judiciário brasileiro no século passado. Sebastião e Joaquim Naves foram torturados e injustamente condenados sob a acusação de ter roubado e matado o compadre deles, Benedito Pereira. A reforma do casarão e a encenação de peça fazem parte de roteiro turístico recém-criado pela prefeitura inspirado no caso. O enredo envolvendo os irmãos Naves começou em 1937 e só foi esclarecido em 1952, quando o compadre Benedito, que ficou 15 anos desaparecido, voltou ao município. Em alusão aos 75 anos do início do martírio dos réus e aos 60 anos do fim do sofrimento da família Naves, o Estado de Minas relembra o caso que entrou para a história jurídica brasileira e detalha os planos do município para que o erro não seja apagado da memória do país.

Enredo de dívidas, fuga e torturas
A data é 29 de novembro de 1937. Poucas semanas depois de Getúlio Vargas orquestrar o golpe que instituiu o Estado Novo, os irmãos Joaquim e Sebastião Naves, humildes e semianalfabetos, entraram afoitos na delegacia de Araguari para informar aos policiais que Benedito Pereira, compadre deles, havia desaparecido com pouco mais de 90 contos de réis – cerca de R$ 300 mil. O tenente Chico Vieira, conhecido tanto pelo rigor quanto pela farda impecável, foi transferido de Belo Horizonte para conduzir as investigações.

O delegado-militar ouviu dos irmãos que Benedito era sócio deles num caminhão Ford V-8, usado no transporte de grãos, e que havia conseguido empréstimo com familiares e amigos para comprar 2.047 sacas de arroz. O desejo do compadre era lucrar com a alta do produto, mas o preço do alimento despencou e Benedito foi obrigado a vendê-lo pelos 90 contos de réis. O valor era insuficiente para quitar os empréstimos. Talvez esse tenha sido o motivo de seu sumiço.

Para o tenente, porém, a linha de investigação foi uma só: os Naves cometeram latrocínio – matar para roubar – contra o compadre. “Os irmãos tiveram as unhas arrancadas, foram obrigados a beber urina e um deles, depois de pendurado numa árvore, teve o corpo lambuzado com mel para ser atacado por insetos. O pior foi terem visto a mãe e as esposas torturadas”, conta Fausto Lieggio, de 97 anos, filho de um carcereiro na época do martírio dos Naves.

Os descendentes de Sebastião e Joaquim não comentam o caso. Pudera: o sofrimento dos irmãos foi além dos maus-tratos físicos. O bebê de Sebastião morreu de desnutrição, segundo moradores, porque a mãe, depois de torturada, não teve como alimentá-lo corretamente. Por semanas, Sebastião e Joaquim ficaram presos numa cela no primeiro andar do sobrado que está sendo reformado.

Lá funcionava a cadeia. O segundo pavimento abrigava o fórum, onde eles foram julgados duas vezes. Em ambas foram inocentados por 6 a 1. Aqui entra o erro do Judiciário, que aceitou recurso do Ministério Público, discordou das decisões dos jurados e condenou os réus. O Brasil seguia a Constituição de 1937, que não garantia a soberania do júri.

“Era outra época. O crime de latrocínio era julgado pelo júri. Hoje, o tribunal pode até mudar a decisão dos jurados, numa revisão criminal, desde que ocorram fatos depois do julgamento”, esclarece o juiz Glauco Eduardo Soares, titular do 2º Tribunal do Júri de BH e ex-delegado em Araguari. Ele conhece a história não apenas por ter sido lotado na cidade: o drama dos Naves se tornou caso estudado nas faculdades de direito do país.

“O caso é um marco, tendo ‘virado’ livro e filme”, reforça o advogado Leonardo Marinho, conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG) e professor de processo penal na PUC Minas e na Universidade Federal de Minas Gerais. O livro ao qual ele se refere, O caso dos irmãos Naves, foi escrito por João Alamy Filho, que defendeu Sebastião e Joaquim.

O bacharel conseguiu reduzir a pena dos irmãos de 25 anos para 16 anos. Por bom comportamento, em 1946, a dupla deixou a prisão depois de oito anos e seis meses dentro de uma cela. Joaquim, três anos depois, morreu. “Foi para o céu carregando a culpa de um crime que não cometeu”, lamentou a historiadora Juscelia Peixoto. Em 1952, a verdade foi esclarecida: Benedito apareceu numa fazenda próxima a Araguari. Sebastião foi avisado e acionou a polícia.

Benedito, depois de localizado, jurou que não sabia do martírio enfrentado pelos irmãos. Relatou que decidiu viajar pelo Brasil. O empréstimo que ele havia conseguido jamais foi pago. Já a honra dos Naves foi resgatada.