domingo, 28 de outubro de 2012

Após empate "justo", Mauro Fernandes ainda sonha com o acesso

Após empate "justo", Mauro Fernandes ainda sonha com o acesso

Apesar de achar empate 'justo', treinador lamentou falha do América na partida

Gazeta Press
| Tags: celular 

Publicação:

28/10/2012 13:00
O técnico do América, Mauro Fernandes, considerou o empate com o Joinville, por 2 a 2, um resultado justo. Porém, o treinador não deixou de lamentar os dois pontos perdidos, principalmente pelo erro de marcação no lance do segundo gol do JEC. Apesar de também considerar o resultado ruim para as duas equipes, o comandante mantém sua confiança na busca pela quarta vaga do G-4.

“Foi um jogo muito disputado. O América deixou escapar uma vitória. Tivemos um descuido no segundo gol. O cara veio pelo meio, sozinho, para fazer o gol. Ambas as equipes tiveram oportunidades depois do empate. O resultado foi justo. E se o América tivesse jogado todo o campeonato assim, a situação seria outra, totalmente diferente. Mas ainda temos esperança, vamos sonhar com ela. Não foi chegar aqui e dizer que acabou o campeonato para nós”, declarou.

Fernandes destacou a superação dos jogadores do Coelho, mas não escondeu a sua irritação com o excesso de erro de passes de alguns. “Erramos passe de três metros. Treinamos todos os dias e o trabalho é esse. Não podemos errar tanto como erramos. Se todos os jogadores estivessem dentro da normalidade, talvez tivessem uma vitória até maiúscula. Mas tivemos algumas peças que não estiveram dentro de seu melhor e foi esse o motivo de minha irritação na beira do campo”, afirmou o técnico americano.

Mauro Fernandes ainda reclamou da marcação de seus comandados nos gols do Joinville. “Houve uma falta de atenção no segundo gol. No primeiro, houve um desvio na cobrança de escanteio, que havia mostrado para eles como o Joinville joga. Mas fiquei satisfeito porque os jogadores buscaram uma superação. As duas equipes tiveram deslizes como também tiveram muitos pontos altos no jogo”, comentou.

Na volta para casa, Leandro Guerreiro quer vitória para dar alegria ao torcedor

Na volta para casa, Leandro Guerreiro quer vitória para dar alegria ao torcedor

Cruzeiro reencontrará o torcedor da capital no próximo sábado, no jogo contra o Santos

Daniela Mineiro - Superesportes
| Tags: celular 

Publicação:

27/10/2012 17:25
 

Atualização:

27/10/2012 17:14
Euler Junior/EM/D.A Press
Guerreiro quer vitória contra o Santos
Depois de dois meses jogando no interior de Minas, o Cruzeiro reencontrará o torcedor da capital no próximo sábado, no confronto com o Santos, no Independência. Apesar de não almejarem mais nada no Campeonato Brasileiro, o discurso dos jogadores celeste é de não abaixar a cabeça e terminar o ano com dignidade.

Feliz pelo retorno a Belo Horizonte, o volante Leandro Guerreiro espera reestrear em casa com o pé direito, deixando o torcedor satisfeito. “Vamos voltar para casa com força total. É treinar exaustivamente para chegar 100% contra o Santos e conseguir uma grande vitória para, pelo menos, conseguir dar uma alegria ao torcedor.”

Quem também comemorou o retorno para o Independência foi o volante Marcelo Oliveira. “É bom voltar para o Independência, para nossa torcida que nos apoia. Sabemos que, com a torcida, a gente fica bem mais forte. Estamos felizes de voltar para o Independência.”

O jogo entre Cruzeiro e Santos, válido pela 34ª rodada, será no próximo sábado, às 19h30, no Independência.

Restaurantes tradicionais de BH sucumbem às limitações e altos custos Lei Seca e falta de táxis também são problemas.

Restaurantes tradicionais de BH sucumbem às limitações e altos custos Lei Seca e falta de táxis também são problemas.

Paula Takahashi -
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 08:05

Tradicional restaurante Tip Top, está à venda (Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Tradicional restaurante Tip Top, está à venda
A força de uma história de 83 anos, que se confunde com a de Belo Horizonte, não impediu que o restaurante Tip Top – mais antigo e tradicional da capital – fosse colocado à venda. A elevação dos custos da folha de pagamento, aluguel e legislação municipal fizeram a empresária Teresa Recoder Gonçalves, há 28 anos no comando da casa, tomar a difícil decisão de abrir mão do negócio, que já não traz a mesma rentabilidade de dois anos atrás. “O nosso aluguel passou de R$ 8 mil para R$ 12 mil. Os custos fixos aumentaram muito e não vale mais a pena continuar”, lamenta.

A realidade de um dos maiores símbolos da boemia mineira reflete o momento difícil vivido pelo setor. O empresário Marco Antonio Malzone, dono da Rede Saia Mais – controladora de 10 casas de renome na capital, como Vinícius, Fabbrica Spaghetteria, La Milonga e Távola –, também sucumbe às dificuldades e mudanças que vêm sendo impostas ao ramo há pelo menos um ano. Nos últimos 40 dias, fechou as unidades do La Milonga e da Fabbrica, no Boulevard Shopping. Também já tinham sido encerradas as atividades do Távola e do The Art From Mars. O motivo da decisão: “Os aluguéis acima de R$ 20 mil foram os primeiros na linha de corte”, justifica Malzone.

A preocupante crise vivida por bares e restaurantes da capital a menos de dois anos da Copa do Mundo brasileira tem motivos diversos. Entre eles, a dura legislação municipal aplicada ao segmento. “A questão da Lei Seca é séria. As pessoas vêm ao bar e não podem beber. As que optam por não dirigir não encontram táxi para voltar para casa”, explica Teresa Recoder.

A Lei do Silêncio e regulamentação de mesas e toldos nas calçadas engrossaram as limitações que atingem os estabelecimentos e criaram uma verdadeira queda de braço com o poder público, que termina, em boa parte das vezes, com uma multa salgada para o empresário. “Até o tamanho da placa com o nome do restaurante foi regulamentado. Pode ter, no máximo, 50 centímetros”, lembra Teresa.

A folha de pessoal também pesa. “Hoje representa 35% do faturamento da casa”, conta a gerente Zenilda Pereira Paiva, que trabalha há 16 anos no Tip Top. O faturamento, porém, nem de longe acompanha as despesas. “Não podemos repassar para o cliente porque ele acaba migrando para outro lugar”, explica Zenilda, que não esconde o carinho que tem pelo restaurante que ela passou a encarar como uma verdadeira família.

Anunciado por R$ 500 mil, o Tip Top está vendendo muito mais do que o mobiliário, equipamentos e o ponto, um dos mais disputados da cidade, no coração do Bairro de Lourdes, na Região Centro-Sul. Vende também uma história que está entranhada na da capital e que Teresa Recoder não quer ver se apagar com a transferência da administração. “Queremos alguém que dê continuidade ao negócio, às receitas da dona Paula (leia Memória), nossa salada de batata. Enfim, que mantenha a tradição. Não queremos ver tudo ir embora”, diz com ar de saudosismo.

Por isso, os últimos interessados na compra foram descartados. “Vamos escolher alguém que tenha o perfil do Tip Top”, garante Teresa. Enquanto tenta manter viva a história octogenária, a casa continua a oferecer o mesmo serviço e atendimento que a fizeram ser reconhecida pelos clientes que há anos sentam nas mesmas mesas e tratam os garçons como amigos.

Luz amarela

A derrocada de restaurantes tradicionais na capital serve como um grande alerta para os empresários do ramo. “É normal vermos estabelecimentos novos fecharem todos os dias. Em geral, as pessoas têm um sonho de abrir um restaurante e não há grandes barreiras de entrada”, explica Nando Júnior, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel-MG). “Mas o que assusta é ver os tradicionais enfrentando problemas também”, afirma.

Pelo menos outros cinco empreendimentos reconhecidos estão na mesma situação. Procurados, os proprietários preferiram não se manifestar com receio de que o que está ruim fique ainda pior.

A tendência é de transformação do mercado, que fatalmente culminará com o fechamento de empreendimentos de médio porte. “Eles têm os custo dos grandes, mas competem com os pequenos que estão na informalidade. Com isso, não conseguem sobreviver”, avalia Nando. A concorrência com os informais se soma às ações trabalhistas que punem os empresários. “A questão dos 10% no país não é regulamentada e com isso abre brecha para processos”, pontua o diretor-executivo da Abrasel-MG, Lucas Pêgo.

Nem tudo bem, nem tudo certo


Em 1929, a tcheca Paula Huven e seu marido, o romeno Adolfo Huven (foto), abriram as portas do Tip Top na Rua Espírito Santo, quase esquina com a Avenida Afonso Pena. O nome foi inspirado numa gíria muito usada na Europa dos anos 1920 e 1930, que significava: “tudo bem, tudo certo”. Naquela época, vendia artigos importados, queijos suíços – que chegavam em grandes rodas de 120 quilos – salada de batatas e salsichões. Depois de 42 anos no mesmo endereço, o Tip Top foi transferido para a Rua Rio de Janeiro, onde permanece até hoje. Com a morte dos fundadores, a casa foi transferida, em 1984, para a Rede Alpino de Alimentação, empresa do extinto Grupo Irgominas. À frente, está a empresária Teresa Rocoder Gonçalves, que fez questão de manter as tradições e pratos que garantiram até hoje a notoriedade do restaurante.

Classe C brasileira descobre a moda Com emprego, renda e acesso ao crédito, consumidores que ascenderam socialmente vão gastar R$ 55,7 bilhões em roupas. Compras superam em R$ 10 bilhões as das classes A e B

Classe C brasileira descobre a moda Com emprego, renda e acesso ao crédito, consumidores que ascenderam socialmente vão gastar R$ 55,7 bilhões em roupas. Compras superam em R$ 10 bilhões as das classes A e B

Carolina Mansur
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 07:25

Clique para ver os números dos gastos da classe C ccom vestuário
Clique para ver os números dos gastos da classe C ccom vestuário
Investir na aparência e estar bem vestido nunca foi tão importante para a classe C. Empregada, com renda maior e mais acesso ao crédito, a nova classe média está mais consumista e até o fim deste ano vai gastar em roupas R$ 10,2 bilhões a mais do que as classes A e B. De acordo com pesquisa divulgada pelo Instituto Data Popular, em nove anos os consumidores da classe C ampliaram os gastos com moda, descontada a inflação do período, em aproximadamente 153,2%. Hoje, eles representam 46% dos consumidores de roupas e devem atingir a cifra de R$ 55,7 bilhões ainda em 2012. Enquanto isso, as classes A e B respondem por 37,6% dos gastos, somando R$ 45,5 bilhões e as classes D e E por 16,4%, cerca de R$ 19,8 bilhões. A resposta ao consumo crescente vem no surgimento e fortalecimento de redes e lojas voltadas para esse público.

Há dois anos no mercado de Belo Horizonte, a loja de departamento 7 Bello, no Centro, vem crescendo 40% ao ano embalada pela classe C. “Atender o mercado emergente é cada vez mais lucrativo porque ele ganha mais e gasta mais”, afirma o gerente Cláudio Hernani Murta. O bom desempenho, segundo ele, pode ser justificado ainda pela oferta de mercadorias mais baratas, mas que primam pela qualidade. “Esses são clientes extremamente exigentes e desejam produtos de qualidade”, afirma.

Segundo Murta, lojas populares com roupas amontoadas em bancas já não são mais o foco desse cliente, que acabou transformando o varejo. “Os consumidores, principalmente as mulheres, estão muito mais interessados em moda, têm informações, gastam mais e sabem o que tem e o que não tem qualidade”, explica. “Por isso é importante investir em uma loja diferenciada, com manequins e araras, peças exclusivas, em tendências e sempre buscar novos fornecedores”, acrescenta.

Há 20 anos no setor de confecção e varejo de roupas, a empresária Andrea Maria Savino Nogueira e o marido Carlos Henrique Nogueira já têm 10 lojas espalhadas em ruas e nos shoppings populares e pensam em fortalecer os negócios com a criação de uma franquia da loja Plus Basic. Os gastos crescentes da mulher da classe C, e também da classe B, despontam como principais motivos para a nova aposta.

Com expertise em confecção de roupas básicas femininas, eles pretendem em três anos criar um modelo de franquia. “O acesso ao crédito tem facilitado o bom desempenho desse tipo de negócio e entendemos que a nossa loja pode ser atrativa para quem quer entrar nesse mercado”, afirma a empresária. As blusas e vestidos de malha lisa ou estampada, que têm fabricação própria e preços de R$ 10 a R$ 50, levam movimento para a loja durante o dia todo. “Hoje, o preço ainda ganha na preferência desses consumidores, mas esse público se atualizou e quer qualidade acima de tudo”, completa.

Para homens

Na contramão dos empresários que investem no público feminino está o proprietário da loja Canal do Surf, Leandro Lustosa, que optou por atender os homens da classe C. Há quatro anos, ele era estoquista de uma loja de roupas, foi promovido a vendedor, depois a gerente e viu nesse mercado a chance de fazer a própria renda. “Via como as pessoas consomem roupas e achei atrativo investir nesse setor”, comenta. Com a ajuda do ex-patrão, adquiriu uma franquia da loja em março, e pretende recuperar cerca de 80% do valor investido na compra da franquia até dezembro. “Estou confiante que vou atingir essa meta porque esse público entra na loja e efetiva suas compras, ao contrário das mulheres, que ainda pesquisam muito”, comenta.

Para o sócio-diretor do Data Popular, Renato Meirelles, o que impulsiona o crescimento das lojas é, principalmente, a chegada desse consumidor da classe C ao mercado de trabalho. “Esse público não fica mais em casa e precisa estar bem vestido para enfrentar as jornadas de trabalho”, garante. Meirelles lembra que 77% das compras de vestuário pela classe C são feitas por mulheres.

A empresária Andrea Nogueira, dona da Plus Basic, planeja abrir franquia da loja, que cresce voltada para a nova classe média (Jackson Romanelli/EM/DA Press)
A empresária Andrea Nogueira, dona da Plus Basic, planeja abrir franquia da loja, que cresce voltada para a nova classe média


Universo para elas

Além de serem as principais consumidoras do setor de vestuário, as mulheres se mostram mais interessadas em moda que os homens, segundo os dados do Instituto Data Popular. Enquanto 80,5% das mulheres disseram ter pelo menos algum interesse em moda, 54,8% dos homens informaram ter algum interesse no assunto. Reforçam os números a caixa Natália da Silva e a vendedora Adriana Paula de Castro, que são consumistas assíduas. Sempre que sobra um dinheiro no orçamento, elas compram uma peça de roupa. “Ou é uma blusa ou uma calça para trabalhar”, confessa Natália. Todos os dias, as amigas, que trabalham no Centro, vão às lojas atrás dos melhores preços. Na última semana, Adriana foi buscar uma camisa social para o marido e saiu da loja com uma sacola. “Eu compro para mim, para ele e para o meu filho”, diz.

Segundo a professora de economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/IBS) Zirene Roxo Matesco, a qualidade das roupas melhorada pela concorrência e importações também é grande responsável pelo crescimento desse mercado. “Hoje a classe C está vestindo a mesma moda das classes A e B com preços menores, e são as próprias consumidoras que fomentam esse mercado e buscam os lançamentos nas lojas populares”, afirma.

O acesso aos cartões de crédito e de débito e a facilidade ao comprar são apontados pela professora como os principais responsáveis pelo fenômeno notado não só no varejo como também em outros setores. “Há oito anos o crédito correspondia a 25% do PIB, e hoje já é 50%. Este ano a economia vai crescer pouco, cerca 1,6%, mas o consumo das famílias de forma geral vai aumentar quase 4%, ou seja mais que o dobro do crescimento da economia”, destaca. (CM)

Ney Latorraca é internado no Rio de Janeiro

Ney Latorraca é internado no Rio de Janeiro

Diário de Pernambuco
Publicação: 27/10/2012 17:02 Atualização: 27/10/2012 17:20

 (Nando Chiappetta/DP/ D.A. Press)
O ator Ney Latorraca, 68 anos, foi internado nessa sexta-feira (26), na Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio, informou o hospital na tarde deste sábado (27). A causa da internação não foi divulgada. Segundo o hospital, não há previsão de alta.

Morre a atriz Regina Dourado

Morre a atriz Regina Dourado

Correio Braziliense
Publicação: 27/10/2012 14:29 Atualização: 27/10/2012 14:54

 (SBT / Divulgação)
Morreu no fim da manhã deste sábado (27/10) a atriz Regina Dourado, de 59 anos. Regina lutava contra um câncer há oito anos e foi internada no Hospital Português, em Salvador, no último sábado (20). O corpo da atriz será cremado no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana, neste domingo.

Em 2003, Regina havia se submetido a uma intervenção cirúrgica para retirada de um nódulo na mama direita. Sete anos depois, não conseguiu combater um novo tumor, desta vez, do lado esquerdo.

A atriz soteropolitana nasceu em 22 de agosto de 1953 e começou sua trajetória no teatro aos 15 anos, na Companhia Baiana de Comédia. Colecionadora de grandes personagens, Regina protagonizou cenas da teledramaturgia brasileira sendo Lucineide, esposa do Salgadinho (Rogério Cardoso), na novela Explode Coração; Lala Sereno, em Pão Pão, Beijo Beijo, de Walter Negrão; a personagem Índia, de O Rei do Gado, além de multiplicar sua vida em muitas, somando mais de 20 novelas e minisséries no currículo.

Autêntica baiana, interpretou personagens de autores como Janete Clair, Dias Gomes e Aguinaldo Silva, participando de novelas com o destaque de Roque Santeiro, Renascer e Tropicaliente. Arrebatada pelo universo artístico desde os 15 anos, quando já desenhava seu destino como atriz, na Companhia Baiana de Comédias, transitou ainda pelo tablado e pelo cinema, onde integrou o elenco de Baiano Fantasma e Tigipió – Uma Questão de Amor e Honra, na década de 1980, além dos filmes Corpo em Delito, Corisco & Dada e No Coração dos Deuses, na década seguinte.

Depois de vencer o primeiro câncer, apareceu nos cinemas com o trabalho Espelho D`água – Uma Viagem no Rio São Francisco (2004), em que saiu com o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Nas telinhas, atuou pela última vez na novela Caminhos do Coração (2007), da Record. Ainda com sequelas devido ao tratamento do câncer, Regina participou da encenação da Paixão de Cristo, em Salvador, convidada pelo diretor e irmão Paulo Dourado, e viveu o papel da Virgem Maria, nas edições de 2011 e 2012.

Hoje é dia de pedir graças a São Judas Tadeu

Hoje é dia de pedir graças a São Judas Tadeu

Guilherme Paranaiba -
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 07:01

Santuário no Bairro da Graça atrairá centenas de fiéis com missa a cada duas horas (Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Santuário no Bairro da Graça atrairá centenas de fiéis com missa a cada duas horas
Os devotos de São Judas Tadeu, considerado o santo das causas impossíveis, terão várias opções para lembrar o dia do religioso em Belo Horizonte. Missas e celebrações especiais acontecem em cinco endereços na capital, sendo que a programação mais extensa pode ser conferida no Santuário São Judas Tadeu, na Rua Macaé, 629, Bairro da Graça, Região Nordeste de BH. As missas começaram à meia- noite de hoje e acontecem de duas em duas horas até as 22h. A celebração das 8h será presidida pelo bispo auxiliar da capital, dom João Justino de Medeiros Silva, e a missa das 18h comandada pelo arcebispo metropolitano, dom Walmor Oliveira de Azevedo.

A Paróquia de São Judas Tadeu, no Bairro Glória, Noroeste de BH, também reservou vários horários para celebrar o santo das causas impossíveis. As missas acontecem às 6h, às 8h, às 10h, às 15h e às 18h. A última reunião religiosa acontece depois de uma procissão luminosa pelas ruas do bairro, marcada para 19h. No Bairro Pompeia, Região Leste de BH, serão duas missas seguidas de bazar e cantina às 8h e às 15h. No início da noite, às 18h, o bispo auxiliar, dom João Justino, preside a última missa. Logo depois, as ruas do bairro também serão palco de uma procissão luminosa com a imagem do santo.

No Bairro Santa Efigênia, Leste, as comemorações começam bem cedo, às 6h, com uma alvorada festiva, seguida de missa às 9h. Para as18h está marcado o terço dos homens, com participação das famílias, e o dia termina com procissão e missa, às 19h. Por fim, devotos da Região de Venda Nova também poderão celebrar a data perto de casa. A Paróquia Santo Inácio de Loyola e São Judas Tadeu, no Bairro Maria Helena, começa as atividades com duas missas, às 8h e às 10h. Ao meio-dia ocorre o toque dos sinos e uma queima de fogos e, na parte da tarde, mais duas missas, às 15h e às 17h. No início da noite começa a procissão, marcada para às 18h, seguida de missa, às 19h.

Competição ladeira abaixo no bairro Salgado Filho

Competição ladeira abaixo no bairro Salgado Filho

Tiago de Holanda
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 07:01

Crianças e adultos desceram rua no Bairro Salgado Filho de carrinho de rolimã (Cristina Horta/EM/D.A Press)
Crianças e adultos desceram rua no Bairro Salgado Filho de carrinho de rolimã
Ninguém parecia preocupado com o fato de não haver representantes de outros países — ou mesmo de outros estados —entre os participantes. Eles só queriam saber de pegar impulso no topo da ladeira e descê-la com rapidez. Alguns, lá embaixo, ainda giravam o carrinho sobre o asfalto. Na tarde de ontem, Belo Horizonte sediou a primeira edição do Mundialito de Rolimã do Abacate. Apesar do título pomposo, foi apenas um despretensioso campeonato idealizado por um pequeno centro cultural chamado Quilombo do Abacate — daí a fruta do nome.

A pista improvisada ocupou dois quarteirões da Avenida Magi Salomon, entre as ruas Lagoa da Prata e Paracaíma, no Bairro Salgado Filho, Região Oeste de BH. Nas bordas, ela era demarcada por caixas de papelão e pneus, que serviam para conter “pilotos” desorientados. Segundo os organizadores, 40 competidores se inscreveram, de forma gratuita. Alguns correram nas três categorias. Na de velocidade, o que importava era alcançar primeiro a linha de chegada. Na de manobra, o concorrente descia sozinho e, para impressionar os jurados, rodopiava e outros tipos de firula. Na categoria de estilo, ganhava quem se apresentasse com mais criatividade e tivesse o carrinho, digamos, mais bonito, charmoso, engraçado — os critérios não eram muito claros.

Os primeiros colocados receberam troféus. As provas começaram por volta das 15h, sob sol forte. No microfone, o locutor anunciava os competidores. Para proteger a cabeça, alguns usavam capacetes de bicicleta ou de moto, mas havia quem descesse a ladeira sem proteção alguma – felizmente, algumas pessoas só sofreram arranhões. Havia carrinhos de várias cores, alguns mais sofisticados que outros. Uns com rodas de aço e outros de borracha. Alguns com bancos estofados, enquanto o assento da maior parte era de madeira mesmo. Em um deles, o freio era formado por alavancas pressionadas com a mão, como os de bicicleta. Em quase todos, porém, parava-se à maneira antiga, pressionando os pés contra o chão.

Técnicas Morador da vizinhança, o garoto Wesley Gontijio, de 11 anos, competiu pela equipe Quebra Tudo. Ele começou a andar de rolimã há uns seis anos, mas estava parado há mais de um. “Deu para ver que eu tava meio enferrujado. Na descida, fui frear, perdi o controle e acabei batendo na calçada”, contou. Mesmo assim, ele não desanimou. Ensinou que para ganhar velocidade deve-se pegar impulso com as mãos no chão e variar de um lado para o outro o eixo dianteiro das rodas.

Engana-se, porém, quem acha que havia apenas crianças entre os competidores. O professor Dênis Pimenta, de 51 anos, era o veterano. De vez em quando, ele se reúne com uma turma para descer ladeiras no Bairro Santa Terezinha. “Comecei fazendo carrinhos para meu filho, mas ele cresceu e não quis mais. Aí, peguei para mim e gostei”, disse. André de Menezes, de 24 anos, se inscreveu em três categorias. Ele contou que não brincava de rolimã havia 15 anos. “O carrinho estava esquecido em um quartinho. É algo que não tem idade”.

Resultados das eleições terão reflexo em 2014 Eleitores de 50 cidades voltam às urnas e a votação influenciará daqui a dois anos

Resultados das eleições terão reflexo em 2014 Eleitores de 50 cidades voltam às urnas e a votação influenciará daqui a dois anos

Leandro Kleber
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 11:13
Brasília – Quando as urnas do segundo turno das eleições municipais de 2012 forem fechadas hoje à tarde e os 31,4 milhões de votos começarem a ser contabilizados, estará aberta oficialmente a corrida para os governos estaduais e a Presidência da República em 2014. A maior cidade do país, São Paulo, está sendo disputada palmo a palmo por PT e PSDB , que devem novamente protagonizar a batalha pelo Palácio do Planalto. Já o PMDB elegeu o maior número de prefeitos em primeiro turno (1.016), com destaque para a expressiva vitória de Eduardo Paes no Rio, e carimbou, por tabela, a presença na chapa presidencial ao lado de Dilma Rousseff em 2014.

Disputam ainda diretamente o protagonismo político pelos próximos dois anos uma legenda média que cresce a olhos vistos, o PSB, e uma legenda recém-criada sob as bênçãos do Palácio do Planalto, o PSD. Esta tornou-se a quarta maior em número de prefeituras no primeiro turno: 493. O partido presidido por Eduardo Campos, o PSB, cresceu 124% em quatro anos e está cada vez mais difícil visualizar um cenário nacional sem a presença do governante pernambucano, que já se tornou alvo até mesmo da imprensa internacional. E o PSD deve ser incorporado à Esplanada em 2013.

Mas ainda existe a rodada de hoje de votações, que podem alterar o cenário acima exposto. Se confirmar a vitória que se desenha nas recentes pesquisas de intenção de voto, o petista Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e cria política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, passa a administrar um orçamento de R$ 39 bilhões em 2013, e instala-se em uma trincheira suficientemente estratégica para fustigar o tucanato paulista e tentar consolidar a reeleição de Dilma Rousseff daqui a dois anos.

O PT tem chances de conquistar seu objetivo. Além de eleger Haddad para comandar a cidade, o partido está no segundo turno em Campinas, Diadema, Guarulhos e Santo André, o que envolve 11,1 milhões de eleitores e um montante em caixa (dados do IBGE de 2011) de R$ 39,96 bilhões. É o chamado cinturão vermelho do PT, suficiente para sufocar o PSDB de São Paulo, que governa o estado desde 1994 e comanda um orçamento de R$ 157 bilhões.

O PSDB ainda tem esperanças de manter o grupo político que comanda a atual capital paulistana. Conta com as expectativas da direção nacional e do virtual candidato tucano à Presidência em 2014, Aécio Neves — que já fez a sua parte direta, ajudando a reeleger Marcio Lacerda (PSB) para mais quatro anos à frente da Prefeitura de Belo Horizonte, com R$ 68,1 bilhões de orçamento. Além de São Paulo o PSDB no estado disputa ainda o segundo turno em Ribeirão Preto (419 mil eleitores e R$ 1,5 bilhão em orçamento); Jundiaí (257 mil eleitores e R$ 1,2 bilhão em orçamento) e Guarulhos (825 mil eleitores e R$ 2,5 bilhões em caixa). A soma, só em São Paulo, dá R$ 37,3 bilhões e 10,1 milhões de eleitores.

No primeiro turno das eleições municipais, o PT conquistou 626 prefeituras, totalizando 17,1 milhões de eleitores. Foi o partido que mais conseguiu votos no país. No segundo turno, os petistas ainda estão na disputa em 22 das 50 cidades que descobrem hoje os novos prefeitos a partir de janeiro de 2013. O PSDB elegeu 692, conseguindo 13,9 milhões de votos. Terá uma nova chance em 17 municípios. Entre eles aparece o PMDB, que obteve 16,7 milhões de votos no primeiro turno mas foi o que mais elegeu prefeitos: 1.016. As vitórias mais expressivas do partido ocorreram primeiro turno e na segunda-feira subsequente. Eduardo Paes foi reeleito para a Prefeitura do Rio com 64,60% dos votos válidos e pouco mais de dois milhões de votos. Percentualmente, não foi o que mais recebeu votos, mas em números absolutos ninguém no primeiro turno foi votado por tantos eleitores. E administrará a cidade, que tem hoje um orçamento de R$ 71,8 bilhões, até 2016, quando o Rio será a sede das Olimpíadas.

PARCERIA Embalado pela vitória inequívoca no segundo maior colégio eleitoral do país e com a aliança entre Gabriel Chalita (PMDB) e Haddad em São Paulo selada, veio a segunda vitória peemedebista na mesma semana: Dilma chamou o vice-presidente Michel Temer em seu gabinete e reafirmou a aliança presidencial para 2014, calando as pretensões do PSB, de Eduardo Campos. O partido ainda disputa o segundo turno em 16 cidades, mas apenas três são capitais. Até 2014, contudo, existem dois anos e um longo caminho a ser percorrido. A presidente deve promover mudanças em seu ministério no início do ano que vem. É praticamente certa a entrada do PSD, de Gilberto Kassab, partido que elegeu muitos prefeitos e tornou-se a principal linha auxiliar para o PSB. Apesar da ligação inequívoca com José Serra em São Paulo, o partido sempre votou com o governo no plano federal. Mas, exatamente por isso, não será Kassab a integrar o governo Dilma.

Outras pressões devem ocorrer. O PMDB sempre reclama que está subrepresentado na Esplanada, mas a promoção de Gabriel Chalita para o primeiro escalão depende, hoje, da saída de algum nome do partido de uma das cinco pastas comandadas pela legenda. Já o PSB, que também cresceu, tende a seguir um caminho mais independente e dificilmente terá aumentada sua representação na Esplanada — hoje o partido comanda dois ministérios.

Peças-chave nas capitais


São Paulo – O último dia da campanha para o comando da cidade mais rica do país foi marcado por encontro com eleitores e um clima mais ameno entre Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB). O candidato petista à Prefeitura de São Paulo participou de carreata na Zona Sul da capital, ao lado do Autódromo de Interlagos. Haddad avaliou que o julgamento do mensalão não atrapalhou sua candidatura porque os eleitores estão de olho no que o município precisa. “A cidade estava preocupada com o próprio futuro. Está precisando se recuperar”, comentou.

O candidato do PSDB à prefeitura, José Serra, encerrou sua campanha com passeata também na Zona Sul de São Paulo. Ao lado de militantes e apoiadores, cumprimentou moradores na Vila Joaniza, onde participou de evento do partido. Na madrugada, após participar de debate na TV, Serra se reuniu com a equipe de campanha para beber chope na Vila Madalena. Com orçamento para 2013 superior a R$ 40 bilhões, o prefeito eleito hoje terá a missão de administrar a maior e mais rica cidade do Brasil.

Terceira capital mais populosa do país, Salvador (BA) definirá hoje não só o nome de seu novo prefeito — ACM Neto (DEM) ou Nelson Pelegrino (PT) —, mas também o futuro do partido que um dia foi a maior força política do país. Sucessor da Arena, o DEM viu se repetir no primeiro turno deste ano a perda de poder que o aflige desde que ingressou na oposição, em 2002, ainda sob a sigla PFL. Mas, se na eleição de domingo conquistar a capital baiana, poderá minimizar significativamente esse impacto, passando a comandar mais de 1,9 milhão de eleitores, num aumento de 40% em relação ao que obteve no primeiro turno. ACM Neto terminou o primeiro turno com apenas meio ponto percentual de votos a mais do que Pelegrino. Independentemente do resultado, ACM Neto é o único caso de relevante sucesso do processo de renovação que o antigo PFL tentou promover em seus quadros em março de 2007, quando mudou de nome.

O candidato a prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio (PSDB) encerrou sua campanha ontem fazendo uma caminhada no Centro da cidade, ao lado de camelôs. O categoria é simbólica para Virgílio, que reprimiu os vendedores ambulantes quando foi prefeito da cidade (1988–1992). Nesta campanha, ele passou a cortejá-los e buscou uma reaproximação. Vanessa Grazziotin também escolheu o Centro da cidade para encerrar a campanha, mas evitou cruzar o grupo de Virgílio. Ainda assim, cabos eleitorais de ambos os lados chegaram a se encontrar e trocar insultos. Segundo a Polícia Militar, as duas caminhadas reuniram cerca de 2 mil pessoas.

O empate apontado pelas pesquisas de intenção de votos entre os candidatos do PT e do PSB que disputam a Prefeitura de Fortaleza (CE) é o retrato da divisão que a cidade vive desde o rompimento da aliança entre os dois partidos, no primeiro semestre, e uma prévia do que poderá ocorrer em 2014. Depois de uma parceria de quase oito anos, PT e PSB trocam acusações de uso da máquina pública, falta de ação e mandonismo. Em meio a ofensas, a única unanimidade inatacável é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Numa das disputas mais acirradas do segundo turno, Elmano de Freitas (PT) e Roberto Cláudio (PSB), dois desconhecidos da maioria da população que disputam pela primeira vez um cargo executivo, chegaram ao fim da campanha com iguais condições de assumir a prefeitura.

SOU MAIS PSB.Nacionalização na eleição em Uberaba

 SOU MAIS PSB.



Nacionalização na eleição em Uberaba

Daniel Camargos -
Publicação: 28/10/2012 06:00 Atualização: 28/10/2012 07:12
Uberaba, no Triângulo Mineiro, tem a disputa mais acirrada entre as quatro cidades mineiras que terão segundo turno. De acordo com a pesquisa MDA/Estado de Minas, há empate técnico na capital do gado zebu. Antônio Lerin (PSB) está à frente, com 41% das intenções de voto, contra 36,8% de Paulo Piau (PMDB). A diferença, entretanto, é menor do que a margem de erro, de 4,4 pontos percentuais. O levantamento foi feito nos dias 20 e 21 de outubro e registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) sob o número MG01241/2012. É a primeira vez que o pleito na cidade vai para o segundo turno, e logo na estreia ganhou relevo de disputa nacional. Dois pré-candidatos à Presidência da República em 2014 visitaram a cidade. O senador Aécio Neves (PSDB) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), reforçaram a campanha de Lerin.

No primeiro turno, Paulo Piau teve mais votos, somando 50.049 (31,71%), ante 32.961 (20,89%) de Lerin. O candidato do PSDB, Fahim Sawan, ficou em quinto lugar, atrás de Adelmo Leão (PT) e Wagner do Nascimento Júnior (PTC). Os caciques tucanos mineiros, Aécio Neves e o governador Antonio Anastasia, apoiaram desde o início da disputa eleitoral o socialista Lerin, abandonando o correligionário Fahim, que, revoltado, deixou a legenda.


A dobradinha entre PSB e PSDB foi ressaltada por Aécio quando ele visitou a cidade: %u201CEm várias capitais, em outras cidades importantes do Brasil, ora o PSB apoia o PSDB, ora o PSDB apoia o PSB. Isso é extremamente salutar.%u201D Porém, o apoio recebido por Lerin que mais despertou a atenção da população de Uberaba não foi de um político de carreira. O deputado federal e ex-jogador de futebol Romário (PSB-RJ) agitou a cidade em visita no início da semana. É a primeira vez que Lerin, atual deputado estadual, disputa a Prefeitura de Uberaba. Também novato na brigada pela prefeitura, Piau é deputado federal e foi relator do projeto do novo Código Florestal.

Cabos eleitorais Piau recebeu o apoio dos petistas, que ficaram em terceiro lugar no primeiro turno. Marcaram presença na campanha do peemedebista, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, o deputado estadual e candidato derrotado no primeiro turno Adelmo Leão; o prefeito eleito de Uberlândia, Gilmar Machado; e o ex-ministro de Direitos Humanos Nilmário Miranda. Esse último é diretamente interessado na vitória de Piau, pois caso o peemedebista vença, ele conquista uma cadeira na Câmara dos Deputados, por ser suplente.

Entre os correligionários do PMDB Piau recebeu a vista do vice-presidente da República, Michel Temer; do presidente nacional da legenda, Valdir Raupp, senador por Roraima; e do senador Clésio Andrade. O atual prefeito de Uberaba, Anderson Adauto (sem partido), réu no julgamento do Mensalão, não conseguiu emplacar o sucessor e abandonou o PMDB. Os dois candidatos encerraram a campanha ontem com carreatas.

Argentinos se rendem à Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Argentinos se rendem à Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Orquestra inicia turnê pela América do Sul com apresentação em teatro argentino, detentor de uma das melhores acústicas do mundo


Carolina Braga - EM Cultura
aumentar fonte diminuir fonte imprimir
Eugênio Sávio/Divulgação
Sob a regência do maestro Fabio Mechetti, os músicos encantaram o público logo de início, ao som de O guarani, de Carlos Gomes


Buenos Aires –  Quando soaram os primeiros acordes de O guarani, de Carlos Gomes, no pomposo Teatro Colón de Buenos Aires, na noite da última sexta-feira, foi impossível não se arrepiar. Mas isso não se deve somente à incensada acústica do espaço, sua beleza ou a obra em si. A abertura da ópera mais conhecida do compositor brasileiro foi escolhida para a estreia internacional da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. E que estreia.

Se havia um ar de desconfiança por parte dos argentinos diante de uma “novíssima” orquestra de Minas Gerais, essa impressão passou logo nos primeiros minutos. “Os mineiros conquistaram o Colón”, atestou o ex-cônsul da Argentina em Belo Horizonte Ramon Villagra Delgado. Ele não escondeu a empolgação pelo que havio acabado de assistir. Segundo Ramon, o teatro considerado a catedral da cultura dos “hermanos” costuma ter um público muito especializado em música clássica, por isso, a prova foi de fogo. Mas sob a regência do maestro Fabio Mechetti e com participação do solista Antonio Meneses no violoncelo, a Filarmônica surpreendeu a experiente – e exigente – plateia de Buenos Aires.


“É triunfante. Das enormes gravações que conheço dessa obra, com maestros extraordinários, sei que é um desafio apresentá-la. Eles se saíram muito bem”, afirmou o argentino Ernesto Turjanties, sobre o Concerto para violoncelo e orquestra em si menor, op. 104, de Antonín Dvorák. Além dele e de O guarani, a Sinfonia número 4 em fá menor, op. 36, de Tchaikovsky, completa o programa da turnê que passa hoje por Montevidéu, no Uruguai, e depois Rosario e Córdoba, na Argentina. O repertório não parou aí. Após os aplausos efusivos e gritos de “Bravo”, os argentinos foram homenageados no bis com a apresentação de Variações concertantes Rondó, de Ginastera, seguida da introdução das Bachianas brasileiras número 4, de Villa-Lobos.

Para o maestro Fabio Mechetti, a orquestra se destacou ao demonstrar personalidade na primeira apresentação no exterior. “Fazer uma estreia internacional em um teatro como o Colón, um dos mais importantes do mundo, pode intimidar. Mas a orquestra ficou muito à vontade. O público respondeu da mesma maneira. Esperamos que seja a primeira de várias visitas que faremos. Fico orgulhoso pelo fato de estarmos aqui trazendo um pouco de Minas aos nossos ‘hermanos’”, comentou Mechetti.

Acústica “Já estive neste teatro várias vezes, mas foi a primeira com uma orquestra brasileira. Eles tocaram magnificamente bem”, disse o solista Antônio Meneses. “Estou muito feliz com o resultado. O fato de termos nos apresentado em uma das acústicas mais maravilhosas do mundo fez com que essa orquestra, de repente, mostrasse o que realmente é capaz de fazer”, acrescentou.

Apesar da ansiedade, o clima entre os integrantes da orquestra era de tranquilidade. A calma e a segurança se refletiram na música. “Foi emocionante. Estamos acostumados a tocar em uma acústica que não é tão sublime quanto essa. Aqui é como se estivéssemos com os ouvidos desobstruídos. É incrível. Deu tudo certo, foi muito bonito”, comentou o percussionista Werner Silveira.

* A repórter viajou a convite da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Orquestra em números

82
é o total de integrantes da Filarmônica de Minas

6,5 mil
quilômetros será a distância percorrida na turnê pela Argentina e Uruguai

2 toneladas
é o peso total dos instrumentos transportados

Eugênio Sávio/Divulgação
Argentinos se rendem à Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que inicia turnê pela América do Sul com apresentação em teatro argentino


Um teatro de porte

Inaugurado em 25 de março de 1908, o Teatro Colón é considerado uma das cinco melhores acústicas do mundo. O auditório é em forma de ferradura, com capacidade para 2.487 pessoas. O palco tem 20 metros de largura, 15 de altura e 20 de profundidade. Depois de um período de decadência, o teatro permaneceu fechado para reformas entre 2006 e 2010.

Prêmios no currículo

Com direção artística e regência de Fabio Mechetti, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi criada em 2008 já com o propósito de alcançar excelência. Em cinco anos de atividades, além de ter solidificado um calendário de concertos em Belo Horizontes com expressivos convidados da seara erudita, já acumula prêmios. O mais recente foi o Troféu Carlos Gomes de melhor orquestra sinfônica em 2012.

Para o solista Antonio Meneses, a trajetória desempenhada até agora pela Filarmônica de Minas Gerais chega a ser milagrosa. “Em cinco anos chegar ao resultado que estão apresentando agora é fantástico. A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) fez isso, o que já foi o primeiro grande milagre. Agora a Filarmônica de Minas está fazendo a mesma coisa”, avaliou. “Desde o início eu toquei com a orquestra e vejo que está melhorando a passos gigantes. O concerto desta noite foi uma coisa excepcional. Em qualquer sala do mundo se pode tocar com uma orquestra assim”, elogiou o violoncelista

Obrigado, R49

Obrigado, R49

Fred Melo Paiva - Estado de Minas
| Tags: celular 

Publicação:

28/10/2012 07:57
Se o Atlético for campeão brasileiro em 2012 – esse sonho que a CBF, Deus e a matemática continuam a nos negar –, R49 passará a ser tão grande quanto Reinaldo, tão histórico quanto Dadá e tão atleticano quanto Diego Tardelli. Se o Galo ganhar, a Câmara Municipal tem de dar ao honorário cidadão não apenas a chave da cidade, mas o molho inteiro – e pode abrir a geladeira, andar de cueca, vestir nosso roupão. Tiradentes deve ser extraído da Afonso Pena para dar lugar ao incisivo camisa 49 – a maioria vai preferir Independência a Inconfidência, já que no Horto é onde se terá dado o milagre do título.

Como diz todo jornalista quando diz que disse alguma coisa, digo que é chato dizer “eu disse” – mas, bem, eu disse: “Ronaldinho ainda vai chorar por nós”. E chorou naquele gol contra o Figueirense. Eu não vi Pelé jogar. Mas depois daquele jogo, se me perguntarem se vi ou não vi, vou dizer que vi. Eu também chorei por R49 naquele dia. E lendo a tuitada de um adolescente no dia seguinte: “Quando eu tiver um filho, vou contar pra ele que vi Ronaldinho chorar depois de fazer um gol pelo Atlético”. Era um menino. Obrigado, R49: meu filho tem 5 anos e vai ser atleticano para sempre. Você tem parte nisso.

Tudo bem que Ronaldinho chorou por causa do seu padrasto – mas foi também por superar a dor abraçado a milhões de atleticanos, essa raça que se fez na superação de tantas injustiças. Desde a favela em Porto Alegre até a absurda campanha contra ele depois de deixar o Flamengo, Ronaldinho em tudo se assemelha ao atleticano. Se o Galo der esse título a ele – e R49 der esse título ao Galo –, será um daqueles momentos épicos do esporte, em que até o mais ateu desconfia de que Deus existe. Eu só espero não enfartar, que é pra poder ver o cara chorando na hora de levantar a taça.

sábado, 27 de outubro de 2012

Creed - Inside Us All (Dentro de Todos Nós) Legendado Tradução PT BR


Creed - Hide (Legendado) Ótima qualidade


Creed - Away in silence ( tradução)


Creed - my sacrifice Clipe Oficial Traduzido HD


creed - with arms wide open Oficial Traduzido HQ


Ira e Samuel Rosa - Tarde Vazia


Por Onde Andei - Videoclipe oficial - Nando Reis e Os Infernais


Decisão da Justiça atrapalha visto dos EUA

Decisão da Justiça atrapalha visto dos EUA

Agência Estado
Publicação: 27/10/2012 10:19 Atualização:
A Justiça Federal de São Paulo suspendeu a entrega de passaportes com visto americano em todo o Brasil. A liminar foi concedida em favor dos Correios, sob alegação de que as empresas contratadas pelo Departamento de Estado Americano para prestar o serviço estariam quebrando o monopólio da estatal na entrega desse tipo de documento.

A medida afeta uma média de 4 mil pessoas por dia que solicitam visto americano no País. A orientação dos Consulados para quem tem entrevista agendada para a semana que vem, entre 29 de outubro e 1.º de novembro, é remarcar para datas posteriores. Quem não puder será atendido normalmente. A Embaixada americana afirma que está tentando encontrar uma "solução temporária" para a entrega dos passaportes e deu prazo até 1.º de novembro.


Desde abril, os passaportes com visto eram entregues pela DHL, subcontratada pela Computer Sciences Corporation (CSC), que, por sua vez, presta diversos serviços à embaixada e aos consulados americanos. Em junho, os Correios já haviam notificado "amigavelmente" o consulado sobre a ilegalidade do novo sistema de entrega. A determinação da Justiça também manda a CSC contratar os Correios para devolver os passaportes que já tem em mãos, "a fim de evitar supostos prejuízos aos titulares dos documentos".

Para o juiz federal Célio Braschi, da 8.ª Vara da Justiça Federal de São Paulo, "o passaporte se enquadra no conceito legal de carta. Trata-se de documento escrito de natureza administrativa que contém informação de interesse do seu destinatário". Diz ainda o magistrado que, se a terceirizada continuar com o serviço de entrega, "está presente o risco de dano irreparável". As empresas chegaram a entrar com um pedido de reconsideração, mas o juiz manteve a decisão anterior. Não é possível agora buscar o documento no consulado nem na DHL.

Para o presidente da Comissão de Direito Internacional da OAB, Eduardo Tess Filho, nesse quesito o Departamento de Estado Americano tem de se enquadrar na legislação brasileira. "As representações não são livres para contratar em regime diferenciado, a não ser funcionários americanos, para exercer funções específicas", diz.

Já para o especialista em Direito Administrativo Adib Kassouf Sad, a entrega pela DHL não fere o monopólio dos Correios. "A partir do momento em que o interessado deixa seu passaporte no consulado, é a celebração de um contrato de particular com particular. O consulado fica fiel depositário do passaporte e pode entregá-lo caminhando pela rua, por um motoboy ou de caminhão."

Mais de 31 milhões de eleitores voltam às urnas neste domingo

Mais de 31 milhões de eleitores voltam às urnas neste domingo

Agência Brasil
Publicação: 27/10/2012 13:20 Atualização:
Brasília - A votação do segundo turno das eleições municipais terminará entre uma e duas horas após as 17h do horário de Brasília, nos municípios que não aderiram ao horário de verão. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o horário de verão ocorrerá em 37 das 50 cidades onde haverá eleição neste domingo (28). Segundo o órgão, a urna eletrônica é programada para iniciar e encerrar a votação conforme a hora de cada localidade, independentemente da adesão ao horário diferenciado.


Nos municípios de Salvador (BA), Vitória da Conquista (BA), Fortaleza (CE), São Luís (MA), Campina Grande (PB), João Pessoa (PB), Teresina (PI), Natal (RN), Macapá (AP) e Belém (PA), as seções eleitorais encerram seu funcionamento uma hora após as 17 horas de Brasília. Em Campo Grande (MS) e Cuiabá (MT), apesar da vigência do horário de verão, a votação também se encerrará uma hora após o horário de Brasília, informou o TSE. Em Rio Branco (AC), Manaus (AM) e Porto Velho (RO), em razão da não participação no horário de verão e ainda da diferença de fuso horário em relação à hora oficial, a votação será encerrada duas horas após o horário de Brasília.

Ao todo, 31.725.967 eleitores estão aptos a votar no segundo turno das eleições municipais de 2012, que ocorre em 17 estados. No primeiro turno, a quantidade de pessoas aptas ao voto era 140.646.446. A contagem de votos nas urnas eletrônicas será feita pelos tribunais regionais eleitorais responsáveis pelas áreas. O TSE, por sua vez, centralizará a divulgação dos resultados. No Distrito Federal, onde não há eleição municipal, e nos estados onde não há o segundo turno, os tribunais regionais terão postos de justificativa de ausência de voto à disposição dos eleitores.

O leitor biométrico, tecnologia que permite a identificação do eleitor por meio das impressões digitais, estará disponível em três municípios no segundo turno: Curitiba (PR), Porto Velho (RO), e Jundiaí (SP). Ao todo, 1,7 milhão de eleitores serão identificados por meio da biometria, que garante mais segurança e impede fraudes.

Como no segundo turno o voto é somente para prefeito e não mais para vereador, o TSE informou que o tempo médio do eleitor na cabine deve ser menor do que no primeiro turno, quando ficou 40 segundos em média. No entanto, ainda não há estimativa a respeito desse número.

As regras para a votação são as mesmas do primeiro turno. A fim de identificar-se em sua seção, o eleitor deve levar o título e um documento com foto. Qualquer manifestação quanto à preferência política deve ser individual e silenciosa. É vedada a aglomeração de pessoas com bandeiras, broches, adesivos ou qualquer coisa que caracterize manifestação coletiva. Também é proibido fazer propaganda boca de urna.

Números do segundo turno das eleições municipais 2012:

Aptos a votar: 31.725.967
Candidatos a prefeito: 100
Municípios: 50
Estados: 17
Urnas eletrônicas: 96.140
Número de postos de justificativa: 1.185 (sem considerar o Distrito Federal, onde há um posto disponibilizado pelo TRE-DF)

Fonte: Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Pitty - Na Sua Estante - ao vivo


Maria Gadú Part. Luis Kiari - Quando Fui Chuva


Maria Gadú - Multishow - Linda Rosa


Quase Sem Querer - Maria Gadú Multishow By (Andresa)


Djavan - Te devoro


Nem um Dia (....um dia frio) - Djavan


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Bruno Mars - It Will Rain [OFFICIAL VIDEO]


Katy Perry - The One That Got Away


Katy Perry - Part Of Me


Katy Perry - Wide Awake


Katy Perry - E.T. ft. Kanye West


The Black Eyed Peas - Meet Me Halfway


David Guetta Feat Akon - Sexy Chick (Official Video)


América faz mistério para duelo em Santa Catarina

América faz mistério para duelo em Santa Catarina

Do Portal HD


América/Divulgação
América Marquinhos Paraná
Paraná segue no time; Leandro Ferreira ganha vaga de Agenor

Mauro Fernandes não esconde o jogo para confronto contra o Joinville, no próximo sábado, às 16h. O treinador, que será obrigado a fazer algumas alterações, revela quem será escalado para o duelo com os catarinenses.
A principal mudança acontece na lateral-direita. Suspenso, Patrick não viaja para o sul do país. Rodrigo Heffner deve ser a alternativa americana. No meio de campo, Fernandes não estimula a dúvida e revela que Leandro Ferreira retorna ao time titular do Coelho. Agenor cede o lugar ao volante, que cumpriu suspensão contra o Boa esporte, na última terça-feira.
"O Marquinhos Paraná vem fazendo bons jogos. Então, não posso ser incoerente com ele e tenho que premiar aquele que está jogando o melhor futebol. Nos últimos jogos ele deu mais equilíbrio ao setor de meio-campo e como o Leandro Ferreira é aquele volante que faz bem a virada de jogo, ele retorna no lugar do Agenor", explicou.
Uma vitória em Joinville é fundamental para o Coelho seguir vivo na luta pelo acesso à elite do Campeonato Brasileiro. Além da equipe catarinense ser um rival direto, os americanos não podem se dar ao luxo de perder mais nenhum ponto nas rodadas finais.

América traça planos para aprontar na casa do inimigo

América traça planos para aprontar na casa do inimigo

Henrique Ribeiro - Do Hoje em Dia


Samuel Costa/Hoje em Dia
Rodrigo Heffner
Rodrigo Heffner volta à lateral em importante duelo

Vencer uma das equipes de melhor retrospecto como mandante. Este é o próximo desafio do América em sua caminhada rumo ao G-4. O Coelho é o sétimo colocado, com 49 pontos, e está a dez do Atlético-PR, em quarto lugar.
Para cumprir a missão, o Coelho viaja nesta sexta-feira para Santa Catarina, onde precisa vencer o Joinville, sábado, às 16h, pela 33ª rodada da Série B do Brasileiro. Para se dar bem no sul, o time alviverde conta com a experiência de Rodrigo Heffner. Ele conhece bem a Arena Joinville e a forma de jogar do time catarinense. “O contra-ataque é uma arma que poderemos usar”, avisa.
Heffner volta ao time na vaga de Patrick, suspenso. A última partida dele como titular foi contra o Atlético-PR, em 6 de outubro. “O grupo está entrosado e não será problema para mim”, acredita.
A média de 29,5 anos do América é uma das mais altas desta Série B. No entanto, o lateral entende que a vivência no futebol será fundamental para superar o Joinville em seus domínios.
ESTRATÉGIA
Aos 30 anos, o Rodrigo Heffner é um dos mais experientes do Coelho e já enfrentou o adversário na Arena Joinville. Por isso, dá a receita para faturar os três pontos.
“É um time bastante técnico e, em casa, eles dão o sangue pela vitória. Contra a gente vão jogar as últimas fichas do campeonato, pois, se perderem, vamos ultrapassá-los na tabela”, ressalta.
Para superar o entusiasmo do Joinville, Heffner crê que o América deve fazer o adversário provar do próprio veneno. “Eles pressionam desde o início e nenhuma equipe consegue manter este ritmo em toda a partida. Eles vão oferecer espaços para os contra-ataques”, prevê.
O lateral também aposta nos gols de Fábio Júnior para o Coelho chegar à quarta vitória seguida. “É só mandar a bola para o ‘eterno’ que ele resolve”, brinca, referindo-se à idade do colega (34 anos). “Mas quem sou eu pra chamá-lo de velho? Meus cabelos brancos me denunciam”, acrescenta.

BHTrans organiza grande leilão de veículos na próxima terça-feira

25/10/2012 20:13 - Atualizado em 25/10/2012 20:13

BHTrans organiza grande leilão de veículos na próxima terça-feira

Do Portal HD


A Prefeitura de Belo Horizonte organizou um leilão com 94 veículos tirados de circulação por infrações de trânsito. O evento acontece na próxima terça-feira (30) no auditório da avenida João Pinheiro, nº 161, na Associação Médica de Minas Gerais, às 9 horas. O resultado final se dará pela maior oferta individual, no estado em que se encontram no pátio da BHTrans.

Para avaliar os veículos, os interessados poderão visitar o Pátio da BHTRANS - Rua Astolfo Dutra, 651, Bairro Vera Cruz - para inspeção visual dos veículos nos dias 26, 27 e 29/10/12, das 8h às 17h.
O Edital e o Anexo estarão disponíveis, durante o período de visitação pública, no próprio Pátio de Recolhimento de Veículos e na Unidade da BHTRANS situada na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 1.700, bairro Carlos Prates.
Os motoristas que adquirirem os veículos os receberão livres e sem multas, cabendo apenas o pagamento do DPVAT, manutenção e os reparos julgados necessários. Ordens judiciais que sejam superiores ao que consta no edital podem excluir itens no leilão, assim como o pagamento dos valores devidos pelos respectivos donos

De posse da Nota de Venda em Leilão, o arrematante de veículo considerado recuperável receberá o Alvará de Liberação a partir do dia 12/11/2012, no escritório da GP Leilões – Avenida Nossa Senhora do Carmo, 1.650/ loja 41, Bairro Carmo. Em se tratando de sucata, a liberação e a certidão de baixa serão entregues aos arrematantes a partir do dia 20/11/2012, no mesmo local, após a retirada de placas, corte de chassis e a baixa do veículo no banco de dados do DETRAN, com a emissão do documento próprio.
Acesse aqui a relação dos veículos

Pra não dizer que não falei das flores - Geraldo Vandré (1968)


Colegas questionam atuação de Joaquim Barbosa no plenário

Colegas questionam atuação de Joaquim Barbosa no plenário

Felipe Recondo


José Cruz/ABr
Joaquim Barbosa, STF
Ministro afirmou que compete ao Legislativo solucionar morosidade da Justiça brasileira

Eleito presidente da cúpula do Judiciário, o ministro Joaquim Barbosa assume o comando do Supremo Tribunal Federal com duas declarações que já provocaram incômodo entre os colegas durante sessões do mensalão, do qual ele é relator. Logo após ser eleito presidente, afirmou que compete ao Legislativo, não ao Judiciário, solucionar um dos maiores problemas da Justiça brasileira: a morosidade.

Na mais recente, durante a sessão de quarta-feira (24), afirmou que o sistema penal brasileiro é "risível", repetindo crítica feita pela imprensa americana. Essa última declaração foi classificada como "autofágica" por um dos integrantes da Corte. Outro ministro afirmou que Joaquim Barbosa deu um "tiro no pé" ao criticar o sistema judicial do qual ele faz parte e presidirá a partir de novembro.

Já durante a sessão, a crítica de Barbosa foi repelida pelos ministros. Ainda durante a sessão de quarta-feira da Corte, o ministro Celso de Mello afirmou: "Eu não seria tão crítico ao nosso sistema". Dias Toffoli lembrou que o sistema penal americano, por exemplo, prevê a pena de morte, punição vedada pela Constituição brasileira.

Reservadamente, outro ministro ressaltou que o sistema americano também tem falhas graves. E lembrou, por exemplo, que a Justiça americana costuma encher os presídios do país com negros e hispânicos.

As comparações e as críticas levaram ao bate-boca entre Barbosa e o revisor do processo do mensalão, Ricardo Lewandowski, durante a sessão.

Barbosa chegou a acusar o colega de defender o operador do mensalão, o empresário Marcos Valério. Depois, pediu desculpas e admitiu que se havia excedido. O embate foi criticado ontem pelo ministro Marco Aurélio Mello: "Nosso relator teve uma recaída. Espero que seja a última". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Mais de 250 mil apressadinhos livres de punição em Minas

Mais de 250 mil apressadinhos livres de punição em Minas

Celso Martins - Do Hoje em Dia


Frederico Haikal
Radares
Número de radares nas BRs de Minas subiu de 87 para 239

Pelo menos 252 mil proprietários de veículos flagrados nas estradas federais que cortam o Estado acima da velocidade permitida não serão punidos. As infrações de trânsito cometidas de 2011 até 11 de agosto deste ano não serão transformadas em multa pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Segundo o órgão, o processamento das infrações em todo o país depende de um programa de computador que o departamento não tinha. As multas só chegarão para quem descumpriu a legislação após 11 de agosto, quando o problema foi resolvido.

Velozes


Nas rodovias federais em Minas, 239 radares registraram 82.122 veículos acima do limite de velocidade de 11 de agosto a 11 de outubro. Na última data, foi divulgado o primeiro balanço de infrações desde a implantação do novo software. A média de flagrantes por equipamento, no Estado, é de 343 em dois meses. Em todo o Brasil, 377.017 motoristas foram “pegos” pelo mesmo motivo. Até o fim de 2012, as rodovias federais do Estado terão mais 87 radares. A previsão do Dnit é chegar a 421 aparelhos no ano que vem. O prazo para o condutor recorrer é de 30 dias a partir do recebimento da notificação.

Detran-MG

O Departamento de Trânsito em Minas (Detran MG) informou que as multas não impedem a liberação do documento do veículo se o órgão que fizer a emissão da infração não comprovar que o motorista foi notificado. Segundo o advogado Enir Lemos, especialista na área, quem descobrir, no site de um órgão de trânsito, que foi multado não deve fazer o pagamento se não receber em casa a notificação. É o aviso que permite a defesa ao infrator. l

Milton Nascimento & Lô Borges - O Trem Azul


Elis Regina Como Nossos Pais


Cacador de Mim - Milton Nascimento


Milton Nascimento - Coração de Estudante



Milton Nascimento

Hoje, Milton Nascimento Faz 70 anos. Parabens a vc e a todos os aniversariantes.

Marcao Cavalcante

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Soneto de Fidelidade


Soneto da separação - Chico Buarque


O que será


Chico Buarque - Mulheres de Atenas

AS MULHERES, SERES MARAVILHOSOS.

Marcao Cavalcante

Chico Buarque - Apesar de Você


Tonight (I'm Lovin' You)


David Guetta - Little Bad Girl ft. Taio Cruz, Ludacris


David Guetta - Where Them Girls At ft. Nicki Minaj, Flo Rida


Pitbull - Hotel Room Service


Pitbull - Rain Over Me ft. Marc Anthony


Pitbull - International Love ft. Chris Brown


Flo Rida - Run ft. RedFoo of LMFAO [Audio]


Flo Rida - Wild Ones ft. Sia [Official Video]


Flo Rida - Good Feeling [Official Video]


Nicki Minaj - Starships (Explicit)


Katy Perry - Firework - Victorias Secret Fashion Show - Live


Maroon 5 - Moves Like Jagger (2011 Victoria's Secret Fashion Show Live P...


Maroon 5 - She Will Be Loved (Rock In Rio 2011) - HDTV (1080i)


Agente diz que Celso Roth pode deixar o Cruzeiro mesmo se clube quiser renovar

Agente diz que Celso Roth pode deixar o Cruzeiro mesmo se clube quiser renovar

Empresário diz que treinador não veria problema em deixar a Toca no fim do ano e teria que analisar condições oferecidas em uma possível renovação para 2013

Gilmar Laignier - Superesportes
| Tags: celular 

Publicação:

23/10/2012 15:53
 

Atualização:

23/10/2012 15:06
Rodrigo Clemente/EM/D.A Press
Roth cumprirá contrato até dezembro deste ano, mas ainda tem futuro indefinido em 2013

Ao que tudo indica, o trabalho do técnico Celso Roth está mesmo em contagem regressiva na Toca da Raposa. Faltam seis jogos para o término do Brasileirão e do contrato do treinador com o clube celeste. Não bastasse o presidente Gilvan de Pinho Tavares não demonstrar interesse na renovação, o agente do treinador, Jorge Machado, revelou ao Superesportes que Roth também não faz questão de permanecer na Toca.

”Nem o Cruzeiro demonstrou interesse na renovação nem o Celso demonstrou interesse em ficar. O Cruzeiro não o procurou e ele está fazendo seu trabalho. Pretende cumprir o contrato e fazer o seu melhor pelo clube, como tem feito. É um trabalho honesto dentro das possibilidades do time que lhe foi dado”, disse Machado.

Na opinião do empresário, Roth não aceitaria de cara uma proposta para ficar no clube em 2013, mas avaliaria as condições oferecidas pela diretoria. Não por falta de interesse, mas por entender que, para realizar um trabalho de ponta, é preciso planejamento e investimento.

”Se o Cruzeiro procurá-lo, ele vai me dizer e vamos negociar. Se não procurar, está tudo certo. Conhecendo o Celso, acho que ele pode até ficar, mas depende das condições oferecidas. Hoje, ele está cumprindo o papel dele, tentando os resultados, a gente sempre conversa e ele diz que a gurizada está focada, mas não tem conseguido os resultados. Ele não está acostumado com essa campanha mediana, mas não está desmotivado”, ratificou.

Em 32 jogos à frente do Cruzeiro, Roth obteve 12 vitórias, 7 empates e 13 derrotas. Sob seu comando, o clube celeste marcou 38 gols e sofreu 41, cravando saldo negativo de 3.

Galo conta com dupla que conhece o caminho do gol, para servir e marcar

Galo conta com dupla que conhece o caminho do gol, para servir e marcar

Ronaldinho e Bernard lideram assistências do time sem deixarem de balançar as redes

Redação - Superesportes
| Tags: celular 

Publicação:

24/10/2012 10:47
 

Atualização:

23/10/2012 19:02
Bruno Cantini/ Atlético
Eles não só dão o passe para os companheiros como também balançam as redes. Ronaldinho Gaúcho e Bernard lideram assistências do time no Campeonato Brasileiro. Mas, além de servir, a dupla também é protagonista na hora de fazer gols.

O lado “garçom” da dupla voltou a fazer a diferença no jogo passado, na emocionante vitória por 3 a 2 sobre o Fluminense, resultado que manteve a equipe na briga pelo título do Brasileirão.

Ronaldinho deu o passe para os gols de Jô e Leonardo Silva, chegando a 12 assistências no torneio. Bernard fez o cruzamento para o outro gol de Jô. São nove passes certeiros do meia no Brasileirão.

Artilheiro do time, Jô festeja a dupla de “garçons”: “São dois jogadores que, quem é atacante sabe, uma hora vão fazer uma grande jogada e te colocar na cara do gol.”

Bernard ressalta que as jogadas são bastante treinadas na Cidade do Galo: “A gente sempre conversa que, dentro da área, vai procurar cruzar na segunda trave. É um momento de entrosamento, construído no dia a dia.”

Decisivos nos passes, Ronaldinho Gaúcho e Bernard têm contribuição generosa na artilharia do Atlético. Eles ocupam a segunda e a terceira posição na lista de goleadores do time. O camisa 49 alvinegro já fez sete gols. Já a revelação atleticana marcou nove.

Anastasia promete avaliar pedido de criação de dois memoriais da ditadura em Minas Solicitação foi feita pela Comissão da Verdade, para que a tortura não seja esquecida

Anastasia promete avaliar pedido de criação de dois memoriais da ditadura em Minas Solicitação foi feita pela Comissão da Verdade, para que a tortura não seja esquecida

Marcelo da Fonseca
Publicação: 24/10/2012 06:00 Atualização: 24/10/2012 08:13

Fachada da Delegacia de Furtos e Roubos, na Rua Uberaba, no Barro Preto, um dos espaços requisitados ontem pela comissão a Anastasia
 (Jair Amaral/EM/D.A Press)
Fachada da Delegacia de Furtos e Roubos, na Rua Uberaba, no Barro Preto, um dos espaços requisitados ontem pela comissão a Anastasia


Integrantes da Comissão Nacional da Verdade se reuniram nessa terça-feira com o governador Antonio Anastasia (PSDB) para discutir o andamento de parcerias na preservação de acervos no estado e apresentar novas demandas colhidas pelo grupo durante audiência pública e encontros com representantes da sociedade civil. Entre os pedidos levados pela comissão à Cidade Administrativa está a criação de dois novos memoriais da ditadura, que seriam instalados em antigos centros de tortura – no Departamento de Ordem Política e Social (Dops), na Avenida Afonso Pena, Bairro Funcionários; e na Delegacia de Furtos e Roubos, na Rua Uberaba, no Barro Preto. Também foi pedido ao governador apoio para a criação de uma comissão na assembleia para tratar exclusivamente dos crimes cometidos no estado durante o regime militar.

“Um dos objetivos desse grupo é conseguir multiplicar os trabalhos e comissões locais de investigação em cada estado para que possamos levantar o máximo de informações possível. Hoje, pedimos ao governador que nos dê as chaves das gavetas para descobrirmos o que for necessário sobre tudo o que se passou de fato em Minas”, pediu o ex-ministro da Justiça e integrante da comissão, José Carlos Dias. O ex-ministro aproveitou o encontro com Anastasia para agradecer a rapidez do governo de Minas para garantir um cuidado melhor com o acervo do Conselho Estadual de Direitos Humanos (Conedh), onde em junho o Estado de Minas descobriu relatos inéditos de presos mineiros que foram torturados no estado, entre eles a presidente Dilma Rousseff (PT).

O governador garantiu aos membros da comissão total empenho para preservar os acervos e prometeu analisar as possibilidades de transformar antigos centros de tortura em memoriais. “Recebi a solicitação do ministro Gilson Dipp (integrante da comissão e vice-presidente do STJ) para que aqueles arquivos, antes mal acomodados, tivessem um tratamento especial, e assim fizemos imediatamente, transferindo-os para o arquivo público. O material já está sendo catalogado e será digitalizado em breve. Vejo como muito adequadas as ponderações desse grupo sobre a importância de criar novos memoriais e verei com a Polícia Civil, que, claro, precisará de outro imóvel para manter o que está em funcionamento, essa possibilidade”, disse Anastaisia.

Nova frente

 
Durante o almoço com os integrantes da comissão, o governador reforçou a intenção de trabalhar pela aprovação do projeto que cria uma comissão da verdade para o estado e falou também sobre a ideia de transformar a antiga Delegacia de Furtos e Roubos em um espaço cultural, sendo pensada a reserva de um marco no local para homenagear as vítimas mineiras da ditadura. “A chave do estado já está entregue à comissão, para pesquisar tudo nas profundidades necessárias e defender a verdade, de forma que não se repita o passado nocivo que tivemos”, ressaltou o governador.

Para Rosa Maria Cardoso, integrante do grupo que acompanhou os encontros no estado, a criação de uma comissão para tratar de temas ainda obscuros no estado poderá ter grande utilidade para a elaboração do relatório final que será entregue em maio de 2014 e evitar que pontos ainda pouco apurados fiquem esquecidos. “São muitas demandas apresentadas em Minas. Temos em andamento as investigações sobre a morte de Juscelino Kubitschek (veja insert), casos obscuros como o massacre de Ipatinga, militantes até hoje desaparecidos e locais usados pelo regime que ainda não foram totalmente esclarecidos. São temas que estão sendo apurados e com uma cooperação entre novos grupos de trabalho poderemos ter avanços significativos”, explicou Rosa.
Novas demandas a solucionar
Nessa terça-feira, uma mesa-redonda foi formada por integrantes do Memorial da Anistia da Ordem dos Advogados de Minas Gerais (OAB-MG), militantes mineiros torturados e representantes de associações de vítimas da ditadura militar para receber os integrantes da comissão. Na pauta do encontro, novos relatos de pessoas que viveram na pele as crueldades do regime militar e muitas demandas de casos ainda não solucionados que ocorreram no estado.

Um dos primeiros a apresentar sua história foi o padre francês Michel Leven, de 81 anos, que já vivia em BH durante a ditadura e foi preso duas vezes por participar de supostas conspirações contra os militares. Recentemente, ao descobrir que seu nome vinha sendo acompanhado por autoridades da época desde 1967 – um ano antes de ser preso –, a triste história vivida no período voltou à tona e o fez refletir sobre como sua trajetória foi modificada por ações do grupo que chegou ao poder. Ao contar sobre sua vida na capital nas década de 1960 e 1970, o religioso buscou deixar de lado os motivos do sofrimento e preferiu pensar no futuro. “O que espero desse grupo é que crie uma verdadeira consciência civilizatória para o Brasil. Que trabalhe a cultura política de nossa sociedade. Infelizmente, até hoje não valorizamos nossa história e isso é um passo atrás para nosso presente”, pediu Michel.

Massacre
A ideia de construir marcos em homenagem às vítimas também foi o principal motivo que levou Edinho Ferramenta, presidente da Associação dos Trabalhadores Anistiados do Massacre de Ipatinga, a apresentar o caso que se passou no Vale do Aço em 1963, mostrando o que aconteceria nos anos seguintes. “Estamos batalhando para construir um acervo histórico na cidade sobre esse evento trágico. Já tentamos levantar esses documentos com as Forças Armadas e as respostas não aparecem. O número oficial de mortos, dos militares, é oito, mas só da capital vieram 30 caixões. No ano que vem esse caso completa 50 anos com questões abertas e que permanecem até hoje abafadas”, cobrou Edinho.

Os integrantes da Associação dos Amigos do Memorial da Anistia – que tentam a construção de um memorial na antiga Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich), na Rua Carangola, Bairro Santo Antônio – também entregaram um documento aos integrantes da comissão com uma lista de pedidos para serem apurados pelo grupo. Entre eles estão o esclarecimento do caso de 25 mineiros que foram mortos fora do estado, o paradeiro de outros 25 mineiros sequestrados que permanecem desaparecidos – 11 deles na região do Araguaia –, esclarecimentos sobre 58 casos de atentados em BH feitos por grupos anticomunistas e sobre o assassinato de 16 militantes de outros estados em prisões mineiras. (MF)

A obscura morte de jk

Um dos casos mais obscuros do regime militar envolve o ex-presidente Juscelino Kubitschek, morto em um acidente de carro em 1976. Em agosto, a OAB-MG pediu à Comissão da Verdade uma nova apuração sobre o caso com base em um material documental reunido durante a tramitação do processo, encerrada em 1996. Uma das hipóteses para a morte do ex-presidente é de que teria resultado de um atentado, sendo o acidente causado por um tiro na cabeça do motorista de JK pouco antes de o carro perder o controle na altura do km 165 da Rodovia Presidente Dutra, próximo a Resende (RJ). Uma das responsáveis pela investigação do caso, Rosa Maria Cardoso, explicou ontem a advogados mineiros que o caso está sendo apurado pelo grupo, com novos documentos e laudos sendo reunidos para posição da comissão.